Famílias vítimas de alagamento recebem doações em Joinville - A Notícia

Versão mobile

 

Chuva19/01/2018 | 16h46Atualizada em 19/01/2018 | 16h46

Famílias vítimas de alagamento recebem doações em Joinville

Prefeitura começou a distribuir comidas, produtos de limpeza e roupas nesta sexta-feira

Famílias vítimas de alagamento recebem doações em Joinville Phellippe José/Prefeitura de Joinville
Foto: Phellippe José / Prefeitura de Joinville

A Prefeitura de Joinville começou a distribuir nesta sexta-feira as doações recebidas para as pessoas atingidas pelas fortes chuvas desta semana. Foram 73 famílias cadastradas para receber roupas, produtos de limpeza e comidas nos três pontos de atendimento, nos bairros Jardim Sofia, Morro do Meio e Vila Nova. As doações estão sendo feitas em duas unidades do programa Sesc Solidário.

O trabalho é realizado em conjunto com a Prefeitura, por meio da Defesa Civil e Secretaria de Assistência Social. As prioridades são alimentos e materiais de limpeza. O Sesc informou que já haviam sido doados 62 quilos de alimentos e 167 itens de limpeza que seriam entregues às famílias cadastradas.

Um dos pontos de distribuição das doações é na Escola Estadual Senador Rodrigo Lobo, no Jardim Sofia. Durante a manhã, cinco famílias já haviam buscado materiais de limpeza e roupas no local. Silvane Abreu, 45 anos, foi uma das atingidas pelo alagamento e perdeu muita coisa dentro de casa, localizada na rua da Democracia.

— No começou deu o desespero em ver a água subindo. A gente foi medindo pelo móvel onde estava a televisão. Perdemos o guarda-roupa, os móveis da sala e o sofá lavamos, mas não sei se vamos conseguir recuperar — conta.

Silvane fez o cadastro na escola e foi procurar roupas para ela e o filho de 14 anos na tarde desta sexta-feira. No entanto, o principal eram os produtos de limpeza para conseguir organizar a residência. Segundo ela, não adianta limpar a casa porque as paredes ainda estão molhadas e o cheiro ainda é forte.

— O problema maior é o barro que entrou dentro de casa e o mau cheiro. Vai muito material de limpeza nisso. Por enquanto estou me preocupando com a parte interna e ainda nem limpei a garagem — explica.

A intenção de Silvane foi de conseguir doações do que desse para ajudar porque comprar tudo de uma vez só pesaria muito nas contas da família. Segundo ela, é gratificante ver que existe pessoas com empatia para fazer doações neste momento de dificuldade.

— Eu já ajudei com doações em outras vezes e nunca pensei em ser ajudada porque nós nunca pensamos que vamos passar por isso. Espero que tenha sido a primeira e última vez, mas é muito gratificante ver essa ajuda.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCarga de 350 mil maços de cigarros contrabandeados é apreendida em Barra Velha https://t.co/kDK28T7sxQ #LeianoANhá 16 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAna Botafogo relança livro no Festival de Dança de Joinville https://t.co/qfRO3Cvuax #LeianoANhá 17 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca