Centro de Bem-estar Animal de Joinville é interditado temporariamente - A Notícia

Versão mobile

Surto de doença21/11/2017 | 12h48Atualizada em 21/11/2017 | 15h24

Centro de Bem-estar Animal de Joinville é interditado temporariamente

Motivo é um surto de cinomose, doença que atingiu 21 cachorros acolhidos na unidade 

Centro de Bem-estar Animal de Joinville é interditado temporariamente Salmo Duarte/A Notícia
Local não receberá novos animais e nem vai liberar os bichos enquanto estiver interditado Foto: Salmo Duarte / A Notícia

O Centro de Bem-estar Animal foi interditado temporariamente nesta terça-feira pela Prefeitura de Joinville. A medida deixa o município provisoriamente sem um local público para receber animais abandonados que estejam feridos e doentes ou vítimas de maus-tratos. O motivo do fechamento foi um surto de cinomose que atingiu 21 dos 59 cachorros que estão acolhidos na unidade, no bairro Vila Nova. Um deles morreu e outro foi eutanasiado porque estava em estado irreversível. 

- Está interditado até conter a infestação e fazer a esterilização do local para deixá-lo adequado. Não serão recebidos mais animais externos e nem encaminhados dali animais para fora do Centro de Bem-estar Animal - explica Jonas de Medeiros, secretário de Meio Ambiente.

Leia as últimas notícias sobre Joinville e região no AN.com.br

A Prefeitura informou que os animais estão sendo medicados e monitorados para que a doença não piore e não tenha o risco de se espalhar entre os demais cachorros. A unidade será reaberta apenas quando o surto for contido e o local esterilizado. De acordo com o secretário, não há previsão de reabertura. Foram contaminados 13 filhotes, seis adultos e outros dois estão em observação para começar o tratamento. As duas mortes por causa da doença foram de cachorros filhotes. 

A cinomose é uma doença contagiosa, transmitida pelo contato direto entre os animais ou pelo ar. Ela não é contagiosa para os humanos. A doença foi detectada pelo Centro de Bem-estar Animal na sexta-feira, quando os cachorros foram isolados dos demais para evitar mais contaminações.

- A informação preliminar é de que iniciou com uma cadela que deu a luz no Centro de Bem-estar Animal. Por conta dela estar parindo, não podia receber a vacina necessária - conta Jonas.

Além do tratamento dos 19 cães contaminados, todos os outros permanecem em estado de quarentena para serem observados pelos veterinários. Segundo o secretário do Meio Ambiente, novos animais deixam de ser resgatados neste momento por causa da interdição. A princípio, também não haverá outro local para que eles sejam abrigados pelo município.

- Nós estamos verificando com o plano de ação como é que vamos atender esses animais, mas a prioridade neste momento é conter o surto. Não temos como fazer um atendimento paralelo enquanto o surto não estiver contido - afirma.

A Prefeitura não tem outro local para receber esses animais, além do Centro de Bem-estar Animal. Por isso, as pessoas que encontrarem animais vítimas de maus-tratos ou abandonados que estejam doentes ou feridos podem procurar entidades privadas para que eles sejam acolhidos. A vereadora Tânia Larson, que também é protetora dos animais, esteve na unidade na manhã desta terça-feira e pediu para que as pessoas ajudem os bichinhos com lares temporários.

- É importante que as pessoas acolham os animais em casa quando eles precisarem de resgate para que eles não voltem para cá - pede.

A reportagem de "AN" conversou com o veterinário Jorge Antonio Ferreira Riul para saber mais sobre a cinomose. Confira:

- O QUE É CINOMOSE?

A cinomose é uma doença altamente contagiosa provocada por um vírus que atinge a população canídea. A cinomose pode atingir cachorros de qualquer idade, sendo mais suscetível nos jovens.

- COMO É A TRANSMISSÃO?

A transmissão é pelo ar e pelo contato direto. Acontece da mesma maneira que os seres humanos contraem gripe. Ou seja, o cachorro não precisa sair do canil para pegar cinomose. Ele pode pegar pelo ar, por exemplo. Se houver contato direto de cachorros não vacinados com o animal doente, a propagação é muito mais rápida e a probabilidade de pegar a doença é ainda maior.

- É UMA DOENÇA APENAS DE CACHORROS?

Ela atinge todos os canídeos, como cachorros, lobos e raposas. É raro seres humanos contraírem a doença. O veterinário nunca conheceu alguém que tivesse cinomose. No canil, quanto maior a concentração de população, maior o índice de transmissão e os riscos são ainda maiores.

- CÃES VACINADOS PODEM SER CONTAMINADOS?

Depende do tipo de vacina. Tem aquelas que são mais idôneas e outras menos. No entanto, as vacinas menos idôneas são melhores do que nada, de acordo com Jorge.

- CÃES DEBILITADOS SÃO MAIS PROPENSOS?

Ele são mais propensos porque, assim como toda virose, a cinomose está ligada ao sistema imunológico.

- QUAIS OS SINTOMAS?

A cinomose tem uma tendência a caminhar para o sistema nervoso central. Geralmente, começa com febre, catarro nasal e ocular, e tosse. Se não for tratado, vai evoluindo para uma fase nervosa que causa sequelas parecidas com as que podem acontecer em uma pessoa que sofre derrame. Dependendo do lugar em que se instalar no sistema nervoso também pode ter consequências em algum órgão.

- QUAL O TRATAMENTO?

O único meio preventivo são as vacinas. Na fase jovem, são três doses, e depois o animal é vacinado anualmente. O tratamento é sintomático e exige soro hiperimune e antivirais. É um tratamento em que o veterinário vai percebendo a resposta que o cachorro apresenta para saber se está satisfatório ou não.

- A DOENÇA PODE LEVAR A MORTE?

A doença pode levar ao óbito, ou causar sequelas. A taxa de mortalidade é alta porque o vírus vai se modificando.

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Operação Natal Shopping, da Fazenda estadual, fiscaliza mais de 1.200 comércios https://t.co/sx0RCNrwGf #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Operação Natal Shopping, da Fazenda estadual, fiscaliza mais de 1.200 comércios https://t.co/VlUwNaP6VQ #LeianoANhá 1 horaRetweet

Veja também

A Notícia
Busca