Projeto social no Jardim Paraíso em Joinville usa o esporte para fortalecer a cidadania - A Notícia

Versão mobile

 

 

Joinville que Queremos09/08/2016 | 13h36

Projeto social no Jardim Paraíso em Joinville usa o esporte para fortalecer a cidadania

Mais de 50 crianças e adolescentes fazem parte do Projeto Leões de Judá

Projeto social no Jardim Paraíso em Joinville usa o esporte para fortalecer a cidadania Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Projeto Leões de Judá completa dois anos neste mês Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS
Bárbara Elice

Especial

Numa quadra improvisada, junto a uma igreja no Jardim Paraíso, zona Norte de Joinville, 20 meninos disputam uma única bola, cada um por si. Uns vão de chinelos, outros têm tênis e meião e alguns jogam descalços. A animação com a brincadeira é evidente, todo mundo ali quer ganhar. Dentro e fora das quadras.

Confira mais reportagens na página do Projeto Joinville Que Queremos.
Confira as últimas notícias de Joinville e região.

Para melhorar a vida de crianças e adolescentes do bairro, o voluntário Itacir Ribeiro coordena o Projeto Leões de Judá, que oferece aulas de futsal e cidadania para crianças e adolescentes. Inicialmente, a ideia era atender às famílias que participam da igreja, mas a bola rolou e muitas outras crianças do bairro se interessaram em participar.

O que começou com meia dúzia, hoje chega a atender a 50 alunos. Neste mês, o projeto completa dois anos de fundação.

Alisson Mendes, de 14 anos, foi um dos primeiros a participar, com seus dois irmãos, de 11 e cinco anos. Ele se interessou porque os amigos jogavam, mas ele não entendia nada do esporte. Ribeiro ensinou as regras e a técnica, o que motivou Alisson a continuar o aprendizado. O menino afirma que hoje se sente mais responsável, aprendeu a respeitar os adversários e a jogar sem violência. Nesse curto tempo de treino, ele já participou de um campeonato no município, além de já ter aprendido as funções do técnico de futsal.

– Acho que aqui é o melhor local para as crianças, tanto meninas quanto meninos. Eles podem aprender sobre responsabilidades e não ficam nas ruas, se violentando lá fora. Aqui dentro, as pessoas têm respeito, não estão sozinhas no mundão. Tem treinador dando puxão de orelha, ensinando o caminho certo e também dando café da manhã, porque muitas crianças aqui não têm o que comer – conta Alisson.

A mãe, Ana Paula Biazin, afirma que o impacto tem sido positivo na vida dos três meninos. Ela aponta a importância da socialização entre as crianças do bairro e o aprendizado sobre trabalhar em equipe.

O desempenho de Peterson Gustavo Faria Moura na escola e o comportamento em casa também melhoraram. Há três meses na escolinha, ele já participou de dois campeonatos. O menino tímido encontrou nesse esporte uma válvula de escape para lidar com os problemas.

– É onde eu suspiro, onde expresso toda a minha raiva e onde melhora o meu ânimo também.

Ensinamentos para a vida

Segundo o coordenador do projeto, Itacir Ribeiro, a mudança no comportamento das crianças é evidente. No início, muitas eram desobedientes, rebeldes e falavam palavrão. O resultado está no retorno positivo apresentado pelas famílias, que sentiram a melhora das crianças em casa e na sala de aula.

– Eu passo tudo o que sei para eles. Claro que todos têm o sonho de ser jogador de futsal, mas o objetivo maior é ver eles no caminho certo, não ver eles passando por dificuldades no futuro. É fazer cidadãos.

Para permanecer na escolinha e participar dos campeonatos, eles devem estar devidamente matriculados e com as notas acima da média. Segundo Ribeiro, essa é uma maneira de incentivar a permanência na escola. No projeto, também é valorizada a boa nutrição, o respeito à natureza, a importância da dedicação ao esporte e conhecimento dos direitos e deveres. A meta é melhorar a qualidade de vida de crianças e adolescentes que enfrentam alguma vulnerabilidade social. Os treinos ocorrem aos sábados, das 8 horas às 11 horas.

Até 20 de agosto, o jornal “A Notícia” vai apresentar essas e outras histórias com a série de 12 reportagens do Projeto Joinville que Queremos com o tema “esporte e cidadania”.

Como contribuir com o projeto

O projeto é inteiramente mantido com doações de famílias e amigos. Recentemente, o Sesc doou equipamentos esportivos, como tabelas de basquete e redes, e um empresário arcou com os custos da construção da cobertura da quadra, que deve ficar pronta em 20 dias. Toda semana, uma padaria do bairro fornece os pães do café da manhã das crianças.

Quem quiser contribuir com equipamentos como bolas, redes, tênis e uniformes ou com o transporte para campeonatos pode entrar em contato pelo email itacirribeiro33@gmail.com ou leiaroecker@hotmail.com, ou pelos telefones (47) 3017-1875 e 9694-3724.

No momento, os Leões de Judá participam de um campeonato regional com o time sub-12, a Copa Kids. Apesar de ter recebido um convite para competir no Rio Grande do Sul, a participação teve de ser adiada, pois seria necessário grande investimento para manter o time por mais de uma semana fora de casa. Entretanto, no currículo, os Leões já somam três troféus conquistados nos cinco campeonatos de que participaram.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Joinville que Queremos 08/08/2016 | 08h04

Programas sociais em Joinville formam cidadãos por meio do esporte

Conheça os projetos que ensinam atividade esportiva e cidadania para jovens em situação de vulnerabilidade social. A segunda etapa do Joinville que Queremos vai apresentar histórias inspiradoras sobre o tema até o dia

Joinville que Queremos 18/06/2016 | 07h01

Entenda como Joinville se prepara para receber os recém-nascidos e dá suporte às grávidas atendidas na rede pública

No ECA, há um capítulo inteiro sobre a vida e a saúde como direitos fundamentais

OPINIÃO 17/06/2016 | 09h30

Direitos e Deveres

Sérgio Ricardo Joesting, promotor de justiça da infância e juventude fala sobre o ECA; para ele, a crise não é somente econômica ou política, é de falta de respeito

Joinville que Queremos 17/06/2016 | 09h01

Livro reúne relatos sobre aplicação do ECA no Norte de Santa Catarina

A publicação, com 270 páginas, faz um resgate histórico inédito no Brasil

Tema em discussão 16/06/2016 | 07h03

Joinville que Queremos: o que as crianças sabem sobre seus direitos

Desde cedo, as escolas ensinam, em sala de aula, sobre os direitos da criança e do adolescente. Como você encara o assunto? Durante 12 dias, o “AN” terá reportagens especiais sobre o tema

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaEm terceiro dia de greve dos servidores, Prefeitura de Joinville apresenta nova proposta https://t.co/nRBVHg5f9z #LeianoANhá 12 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaNomeada para cargo municipal, esposa do prefeito de Barra Velha assume situação irregular em vídeo https://t.co/QDWc2xrP21 #LeianoANhá 12 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca