Jovens de Joinville encontram no esporte caminho para melhorar de vida - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Joinville que Queremos11/08/2016 | 09h42

Jovens de Joinville encontram no esporte caminho para melhorar de vida

Talentos antes apagados pela realidade dura da periferia hoje encontram oportunidades

Jovens de Joinville encontram no esporte caminho para melhorar de vida Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Os alunos que se destacam são selecionados para ingressar no treinamento intensivo, com foco nas competições. Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS
Bárbara Elice

Especial

No bairro Jardim Paraíso, projetos sociais têm funcionado como casulos que fortalecem o desenvolvimento de crianças e adolescentes. Aqueles talentos antes apagados pela realidade dura da periferia hoje encontram oportunidades de experimentar habilidades e expandir limites. Uma iniciativa que tem se destacado é o Instituto Priscila Zanette, que oferece aulas de pelo menos oito modalidades esportivas a cerca de 200 crianças no contraturno da escola.

Leia mais informações sobre Joinville e região no AN.com.br

De segunda a quinta-feira, os ônibus passam nas escolas, recolhendo os alunos do instituto. Eles desembarcam no Kartódromo Internacional de Joinville. Cada uma das 200 crianças tem a oportunidade de experimentar as modalidades de atletismo, basquete, canoagem, capoeira, ciclismo, futebol, tae-kwon-do, tênis de campo e dança.

Todas as aulas são elaboradas por professores e seguem um planejamento pedagógico. Os alunos que se destacam são selecionados para ingressar no treinamento intensivo, com foco nas competições. Conforme a coordenadora do instituto, Rosa Joesting, o objetivo não é somente oferecer uma atividade para retirar os jovens da ociosidade e das ruas, mas mostrar o leque de possibilidades que existe no esporte, aliado a atividades profissionalizantes. Além das atividades esportivas e escolares, os alunos são acompanhados por assistentes sociais e psicólogas.

– Hoje é um programa, mas futuramente queremos transformar numa escola, porque é esse o trabalho que realizamos. Ficamos bem felizes porque vemos o crescimento daquelas crianças que tinham problemas na escola ou na família. Temos exemplos de alunos que estudam meio período, trabalham no outro e nos fins de semana vêm treinar.

O mestre Moreira, professor de tae-kwon-do, foi quem lapidou Jackson Pereira Dutra, campeão estadual neste ano na categoria adulto. Essa modalidade desperta muita curiosidade em quem entra no instituto, por ser uma atividade explosiva e que exige algo que todos eles têm de sobra: energia. Aos professores, cabe orientar onde investi-la.

– Primeiro, ensinamos o respeito a si mesmo. A criança tem que respeitar a si mesma, daí ela vai respeitar os outros. E também trabalhamos com superação e confiança. Muitas crianças chegam desmotivadas, porque só escutam que não são capazes, que tudo é impossível. São palavras que tentamos tirar delas. E isso elas levam para a vida, porque na vida pessoal elas vão ter problemas que vão ter que superar. E o esporte ensina isso – diz   o mestre.

A superação de cada um
Destaque no basquete, Rodrigo Flores, de 17 anos, encontrou um incentivo para viver melhor o presente e planejar o futuro. Ele se mudou para o bairro neste ano e não estava feliz com a transição, por isso vivia conflitos em casa e na escola. O menino que não tinha planos para continuar nos estudos agora sabe que quer cursar gastronomia.

– Me ajudaram a ficar mais tranquilo. Este ano é o meu último na escola e eu não tinha muita expectativa do que fazer depois, de profissão. Aqui, a Rosa está me ajudando, me dando a oportunidade de fazer estágio para poder pagar a minha faculdade.

O esporte tem aberto possibilidade de lazer e até mesmo profissionalização para meninas e meninos. João Paulo Araújo, de 15 anos, estreou junto com o instituto – fundado há quatro anos – e também tem planos para o futuro.

– Hoje, me destaco no atletismo. O meu sonho é me formar em educação física e ser professor – diz.

Ana Luiza de Melo, de 13 anos – há três no projeto –, participa de todas as modalidades esportivas e foi selecionada para treinar ciclismo, basquete e futebol. Ela gosta tanto dos três que ainda não decidiu em qual investir futuramente.

– Muitas mudanças aconteceram comigo. Acho que me acalmei mais com tudo que aconteceu, e fiz bastante amizade. Tem um monte de gente que nunca pensei que fosse conhecer, de colégios diferentes. É uma experiência muito boa.

No Instituto Priscila Zanette, as atividades esportivas têm formato de aula com duração de 55 minutos cada, ministradas por professores graduados em educação física e estagiários. São quatro aulas por dia, com intervalo para lanche. A Prefeitura cede o transporte e a alimentação – esta também conta com o apoio do Programa Mesa Brasil, do Sesc. Além do esporte, há um tempo dedicado aos estudos, quando crianças e adolescentes recebem apoio pedagógico.
 
O instituto é mantido por doações de pessoas e empresas. Para contribuir, deve-se entrar em contato pelo telefone (47) 3437-8571 ou pelo e-mail institutopz.adm@gmail.com.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Joinville que Queremos 09/08/2016 | 13h36

Projeto social no Jardim Paraíso em Joinville usa o esporte para fortalecer a cidadania

Mais de 50 crianças e adolescentes fazem parte do Projeto Leões de Judá

Joinville que Queremos 08/08/2016 | 08h04

Programas sociais em Joinville formam cidadãos por meio do esporte

Conheça os projetos que ensinam atividade esportiva e cidadania para jovens em situação de vulnerabilidade social. A segunda etapa do Joinville que Queremos vai apresentar histórias inspiradoras sobre o tema até o dia

Joinville que Queremos 18/06/2016 | 07h01

Entenda como Joinville se prepara para receber os recém-nascidos e dá suporte às grávidas atendidas na rede pública

No ECA, há um capítulo inteiro sobre a vida e a saúde como direitos fundamentais

OPINIÃO 17/06/2016 | 09h30

Direitos e Deveres

Sérgio Ricardo Joesting, promotor de justiça da infância e juventude fala sobre o ECA; para ele, a crise não é somente econômica ou política, é de falta de respeito

Joinville que Queremos 17/06/2016 | 09h01

Livro reúne relatos sobre aplicação do ECA no Norte de Santa Catarina

A publicação, com 270 páginas, faz um resgate histórico inédito no Brasil

Tema em discussão 16/06/2016 | 07h03

Joinville que Queremos: o que as crianças sabem sobre seus direitos

Desde cedo, as escolas ensinam, em sala de aula, sobre os direitos da criança e do adolescente. Como você encara o assunto? Durante 12 dias, o “AN” terá reportagens especiais sobre o tema

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaO que muda e o que ainda falta ser feito na reforma administrativa do governo Moisés  https://t.co/2KmNirOnV4há 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A Notícia48ª Convenção Estadual do Comércio Lojista começa nesta quinta-feira em Joinville https://t.co/5NcTUz78yUhá 3 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca