Pais e alunos protestam em frente à escola interditada em Joinville - Educação - Geral - A Notícia

Versão mobile

Drama na educação05/03/2013 | 20h38

Pais e alunos protestam em frente à escola interditada em Joinville

Alunos da escola estadual Maria Amin Ghanem não puderam iniciar o ano letivo porque a unidade permanece interditada pela Vigilância Sanitária

Pais e alunos protestam em frente à escola interditada em Joinville  Maiara Bersch/Agencia RBS
Protesto contra a falta de aula na escola interditada reuniu pais e alunos Foto: Maiara Bersch / Agencia RBS

— Nós pagamos impostos e queremos escola para os nossos filhos.

Essa foi uma das frases pronunciadas por uma das mães ao microfone, em frente a escola estadual Maria Amin Ghanem, na tarde desta quinta-feira.

Rosa Aparecida, de 38 anos, mãe de uma aluna de 13 anos, se reuniu com outros tantos pais para protestar a falta de respostas do Governo Estadual. Os alunos não puderam iniciar o ano letivo porque a unidade permanece interditada pela Vigilância Sanitária.

— Não deram prazo e não disseram nada. Se os pais quiserem informação têm que ir  buscar —, concluiu a mãe.

Com cartazes que pedem medidas ao Estado, pais e alunos manifestaram sua indignação. Em uma caminhada, convocaram os outros pais que não compareceram para se unirem à luta por uma solução. Com carro de som e microfone, seguiram pelas ruas do bairro Aventureiro. Novas manifestações também foram agendadas.

A Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) ainda não definiu o que fazer com os 800 alunos da escola interditada pela Vigilância Sanitária, pois não encontrou espaço que comporte tantos alunos e nem parceiros para locação. Apenas 89 adolescentes do ensino médio noturno, segundo a direção da escola, que foram remanejados para a escola João Rocha.

Esse momento de indefinição também preocupa a professora Luciana Mendes, de 36 anos.

— As crianças não terão aula e eu não vou mais trabalhar? —, questiona a professora que  fez mais uma ressalva.

— A Vigilância está avisando há muito tempo sobre as interdições, quem está pecando é o Governo que não toma providências.

Enquanto permanecerem sem respostas, os pais pretendem continuar protestando. Na quinta-feira, haverá uma aula de campo, ali mesmo na rua. Um abraço à escola também está previsto para acontecer no mesmo dia. Na sexta-feira os pais farão novo protesto na SDR, no Centro.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Drama na educação 05/03/2013 | 07h58

Cerca de 1,5 mil alunos ainda estão sem aula em Joinville

Após nova vistoria em duas unidades, a Vigilância Sanitária manteve a interdição

Vigilância 04/03/2013 | 08h35

SDR trabalha em ritmo acelerado para desinterditar colégios em Joinville

Colégio Estadual Prof. Rudolfo Meyer virou canteiro de obras. A intenção é liberar a unidade ainda nesta segunda-feira

Volta às aulas 01/03/2013 | 19h37

Alunos de seis escolas estaduais terão aula em espaços provisórios a partir desta segunda-feira em Joinville

Alunos das escolas Prof. Rudolfo Meyer e Profª Maria Amin Ghanem ainda aguardam definições

Escolas interditadas 20/02/2013 | 20h18

Volta às aulas é adiada mais uma vez em seis escolas de Joinville

O atraso no calendário letivo dos colégios estaduais se deve à dificuldade em encontrar locações para os alunos

Siga A Notícia no Twitter

A Notícia
Busca