Suspeito de matar mulher grávida em Jaraguá do Sul tem prisão preventiva decretada  - AN Jaraguá - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Polícia07/08/2018 | 15h16Atualizada em 07/08/2018 | 18h23

Suspeito de matar mulher grávida em Jaraguá do Sul tem prisão preventiva decretada 

Ele vivia com a vítima há cerca de cinco meses e teria cometido o crime no domingo

Suspeito de matar mulher grávida em Jaraguá do Sul tem prisão preventiva decretada  Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Andreia estava grávida, no terceiro mês de gestação, e tinha uma filha de dez anos Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal
A Notícia
A Notícia

O analista de sistemas Marcelo Kroin, 38 anos, teve a prisão preventiva decretada na segunda-feira, 6 de agosto. Ele está preso desde segunda-feira de manhã, horas depois de a Polícia Militar ter descoberto o corpo da companheira dele, Andreia Campos Araújo, 28 anos, no banco de trás do carro, na garagem da casa em que eles viviam no bairro Jaraguá Esquerdo, em Jaraguá do Sul. Marcelo havia sido preso em flagrante e, com o decreto, fica detido durante o período de investigação da polícia. 

Enquanto isso, a Polícia Civil de Jaraguá trabalha no inquérito para entender o que causou a morte de Andreia e os acontecimentos nas horas seguintes à morte dela. Um pedido de quebra do sigilo telefônico foi feito pelo Ministério Público e os aparelhos celulares encontrados na casa foram apreendidos. O Instituto Geral de Perícias (IGP) de Joinville irá realizar a perícia dos aparelhos, com relação das últimas ligações e transcrição das mensagens.  

Segundo o Ministério Público de Jaraguá do Sul, assim que a promotoria tomou conhecimento do homicídio, entrou imediatamente em contato com as Polícias Civil e Militar para colher detalhes da ocorrência e que, diante da notícia de que haveriam mensagens enviadas do celular da vítima em horário posterior à sua morte, o Ministério Público requereu a quebra do sigilo de dados dos aparelhos telefônicos apreendidos.

Nesta terça-feira, 7 de agosto, o MP requereu urgência nos processos do IGP de Joinville, do IML de Jaraguá e da delegacia de Polícia de Jaraguá. O IGP de Joinville trabalha na elaboração do laudo pericial dos telefones apreendidos e o IML de Jaraguá, na elaboração do laudo de exame cadavérico da vítima. A Delegacia de Polícia ainda colhe depoimentos de familiares da vítima para reunir as informações necessárias à elucidação do crime. Assim que o inquérito for concluído, o Ministério Público irá oferecer a respectiva denúncia para apurar a responsabilidade criminal do investigado. 

O crime foi descoberto após uma denúncia anônima à Agência de Inteligência do 14º Batalhão da Polícia Militar. À Polícia Militar, Marcelo informou que havia ido com Andreia a uma festa na noite de sábado, onde discutiram. Ele teria retornado para casa e, quando ela chegou, por volta das 3 horas, a briga recomeçou. Ele relatou que Andreia teria o agredido com socos e o ameaçado com uma faca, com a qual o teria golpeado no braço. Por fim, ele teria se defendido com um soco e, em seguida, ela teria caído no chão e ido a óbito logo depois. 

Segundo a Polícia Militar, Marcelo afirmou que colocou o corpo da vítima no carro por volta das 14 horas de domingo. Teria dirigido até Canoinhas e, sem saber o que fazer, voltou para casa. Ele foi preso e conduzido ao Presídio Regional de Jaraguá do Sul. Andreia foi velada na Capela Lenzi e foi sepultada na tarde de segunda-feira. Familiares informaram que ela estava no terceiro mês de gestação, e tinha uma filha de dez anos de outro relacionamento.

Leia mais:
Homem é suspeito de matar esposa grávida de três meses em Jaraguá do Sul
Jaraguá do Sul tem um caso de lesão corporal contra mulheres por dia, em média


 
A Notícia
Busca