Polícia prende irmãos suspeitos de matar taxista de Jaraguá do Sul - AN Jaraguá - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Latrocínio27/08/2018 | 12h08Atualizada em 27/08/2018 | 12h08

Polícia prende irmãos suspeitos de matar taxista de Jaraguá do Sul

Allan Tietz foi encontrado morto seis dias após desaparecer em novembro do ano passado

Polícia prende irmãos suspeitos de matar taxista de Jaraguá do Sul Reprodução/Redes Sociais
Allan morava em Jaraguá do Sul, mas investigação apontou que ele foi morto em Curitiba Foto: Reprodução / Redes Sociais
A Notícia
A Notícia

A Polícia Civil de Jaraguá do Sul prendeu dois irmãos, de 19 e 20 anos, suspeitos de terem matado o taxista Allan Tietz, de 24 anos, em novembro do ano passado na cidade do Norte de Santa Catarina. A prisão ocorreu no início da manhã desta segunda-feira em Curitiba (PR).

Segundo o delegado regional de Jaraguá do Sul, Adriano Spolaor, a morte do taxista foi o principal crime ocorrido na cidade nos últimos anos. Allan foi vítima de um latrocínio ocorrido no dia 22 de novembro.

"Ele não merecia essa morte", lamenta pai de taxista morto

No dia do desaparecimento, ele saiu de casa por volta das 17 horas para levar a dupla até a capital paranaense. Os dois contrataram o transporte dizendo que precisavam ir ao velório de um familiar. Allan fez um preço abaixo do normal, já que os jovens estavam com pouco dinheiro. Como o filho não voltou para casa, o pai do taxista acionou a polícia.

O carro foi encontrado no dia seguinte, próximo a rodoviária de Curitiba, sem as rodas, o aparelho de som e com manchas de sangue no banco do motorista, do passageiro, no freio de mão e na porta do lado do condutor. O pai disse que testemunhas contaram à polícia que o veículo foi abandonado no local por dois rapazes.  

O corpo de Allan foi encontrado seis dias depois do desaparecimento na estrada Palmital, no rio São João, em Garuva. Segundo o delegado Spolaor, os dois jovens suspeitos de matar o taxista estavam com prisão preventiva decretada e já haviam sido indiciados. 

— Eles não testemunharam ainda, mas temos provas o suficiente de que são eles. Não foram ouvidos ainda porque não haviam sido pegos. Nós conseguimos depois de uma incessante busca durante meses — explicou.

Os dois homens presos em Curitiba seriam encaminhados ainda durante a manhã para a delegacia de Jaraguá do Sul.

 
A Notícia
Busca