Prédio interditado em Jaraguá não apresenta risco, reafirma perito - AN Jaraguá - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

 

Habitação14/06/2018 | 14h06Atualizada em 14/06/2018 | 14h07

Prédio interditado em Jaraguá não apresenta risco, reafirma perito

Especialista fez nova análise da estrutura que foi interditada nesta semana para garantir segurança dos moradores, que haviam deixado o local

Prédio interditado em Jaraguá não apresenta risco, reafirma perito Salmo Duarte/A Notícia
Nilvane ficou assustada com os pisos da sala se soltando durante a noite Foto: Salmo Duarte / A Notícia

A Prefeitura de Jaraguá do Sul emitiu nota informando que o engenheiro civil Gilberto Luiz, da empresa de perícias e engenharia que fez avaliação do Bloco 8 do Condomínio Ester Menel, emitiu relatório afirmando que o prédio não apresenta risco para os moradores. A avaliação é a mesma que já havia antecipado informalmente após a análise do prédio que chegou a ser interditado por duas ocasiões nesta semana. A perícia ocorreu na tarde de terça-feira, 12 de junho, e o relatório foi divulgado nesta quarta-feira, 13.

Em seu relatório, Luiz menciona o engenheiro da Prefeitura de Jaraguá do Sul, Wolnei Krüger, que atua junto à Diretoria de Proteção e Defesa Civil, que prestou o atendimento inicial à edificação, na manhã de terça-feira, destacando que as conclusões dele "complementam-se e ratificam-se através do trabalho ora apresentado, à Defesa Civil de Santa Catarina e de Jaraguá do Sul e ao Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina".

Wolnei Krüger comandou a vistoria dos apartamentos do Bloco 8 do Condomínio Residencial Ester Menel, e emitiu um relatório sobre as condições encontradas, liberando a edificação para os moradores retornarem aos seus apartamentos, interditados na segunda, dia 11. De acordo com a ficha de ocorrência, os técnicos avaliaram o prédio com quatro pavimentos e constataram fissuras e trincas em aberturas de esquadrias, vidro trincado, fissuras de retração e expansão de revestimento em paredes de alvenaria, sinais de infiltração decorrente de deterioração de juntas do piso cerâmico e destacamento de piso cerâmico em decorrência de variação térmica. 

O documento apresenta ainda algumas orientações para os administradores do Condomínio, eentre elas, contatar profissional habilitado e/ou empresa executora para recuperação das manifestações patológicas da edificação com emissão de ART junto ao CREA/SC, e monitorar o aparecimento de novas manifestações e/ou agravamento das presentes atualmente.

Na noite de segunda-feira (11), os moradores acionaram bombeiros voluntários e Defesa Civil por volta das 23 horas por causa de estouros e rachaduras no piso dos apartamentos do Bloco 8. Por medida de segurança, o bloco inteiro foi interditado. 

O condomínio foi construído há seis anos pelo Programa Minha Casa Minha Vida, em uma parceria entre Prefeitura e Governo Federal. O investimento foi de R$ 10,08 milhões. São 14 edifícios de quatro pavimentos com 16 apartamentos cada. Os apartamentos têm área de 44,15 metros quadrados, adquiridos por pessoas com renda mensal de até três salários mínimos. A empresa Concreto Construtora de Obras Ltda, foi a responsável pela obra.



 
A Notícia
Busca