Embarque na viagem de duas argentinas que percorrem o Brasil de carro - AN Jaraguá - Geral - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Pé na estrada17/03/2015 | 08h13

Embarque na viagem de duas argentinas que percorrem o Brasil de carro

Na companhia do cão Enero, Camila e Vanina irão percorrer o litoral brasileiro até a Amazônia

Embarque na viagem de duas argentinas que percorrem o Brasil de carro Maykon Lammerhirt/Agencia RBS
Enero, Vanina e Camila já estão há dois meses na estrada e passaram por Jaraguá do Sul Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

O mantra que embalou a trajetória de um leão, um javali e um suricate nas telas do desenho animado O Rei Leão (1994) tornou-se o nome e o lema de uma viagem que só tem data de partida. As argentinas Camila Saint Jean, 26, e Vanina Tortosa, 28, embarcaram há dois meses em uma viagem que explora o litoral brasileiro e tem como meta chegar à Amazônia. Tudo a bordo de um Ford Falcon 1985 e na companhia de Enero, o fiel cão. Andar Hakuna Matata é o nome da expedição, que não tem dia para acabar. Desde a semana passada, o trio conhece as cidades do Norte catarinense, passando por Jaraguá do Sul.

As jovens desembarcaram na cidade e, agora, conhecem algumas praias próximas, enquanto aguardam uma encomenda que chegará em Corupá – uma barraca que é acoplada no teto e servirá de cama pelo restante da viagem. O automóvel que leva as viajantes não passa despercebido. O modelo antigo por si só chamaria atenção, mas o acréscimo de uma colorida logomarca nas portas e volumosas malas sobre o teto completam o visual que atrai olhares, elogios e até pedidos de fotografias.

É o carro, por sinal, a nova moradia das viajantes. Sem endereço fixo, o automóvel tornou-se a referência para ambas. É lá que estão todos os objetos necessários à sobrevivência delas: de instrumentos para camping, comida, roupas, até mapas e o diário de bordo. Porém, não é apenas de camping que as meninas passam suas noites. A dupla conta com amigos, conhecidos e até estranhos que as abrigam. Sites como o Couch Surfing, de hospedagem solidária, já foram utilizados para encontrar abrigo pela noite – e com isso conhecer a vida dos moradores. Até agora, 14 pessoas já hospedaram as peregrinas.

– Conhecemos muitas casas e cada uma é um universo diferente, ao qual nos adaptamos e flexibilizamos. É incrível conhecer as pessoas. E estamos aprendendo a nos deixar ajudar. Muitos querem contribuir e estamos nos abrindo para isso – conta Camila, em um português recém aprendido que ainda é carregado de espanhol.

No percurso, as jovens registram em um diário suas experiências. O objetivo é transformar o relato em livro. Primeiro, capítulos breves devem ser escritos, impressos e oferecidos ao longo da viagem. Depois, tudo será reunido em um único volume. Por enquanto, porém, Camila e Vanina não pensam no fim. Pensam, isso sim, no trajeto, vivendo cada dia sem planos.

– Não planejamos muito, pois podemos não cumprir e, então, nos decepcionamos. Deixamos a viagem nos levar e aproveitamos. Ainda temos muito o que viver – sorri Vanina.

Amizade e liberdade

Camila e Vani conheceram-se há um ano e meio em Buenos Aires, onde moravam. Compartilharam, desde o começo, o desejo por algumas mudanças na rotina e uma vida mais livre. Cada uma tinha viagens independentes marcadas com outros amigos. Porém, quando os preparativos tornaram-se sérios, o restante do grupo acabou abandonando o sonho. As duas resolveram unir seus caminhos e compartilhar a estrada.

A viagem começou no dia 3 de janeiro. Para elas, o mais difícil não foi o desapego material, em relação às casas, empregos, móveis e objetos deixados para trás. Mesmo os arranjos para a partida foram breves, feitos em cerca de cinco meses. O preparo fundamental foi o do pensamento e das emoções para enfrentar uma vida nova e livre do que sempre foi pregado como ideal.

– Não temos tempo definido para voltar e isso é o mais lindo de nossa viagem, pois tudo é pensado de outra maneira. Na cidade, há tempo certo para tudo. Conosco, não – resume Vanina.

– E aprendemos a respeitar nossas vontades. Fazemos aquilo que estamos sentindo. Há um equilíbrio em relação ao que é necessário e nossos desejos – completa Camila.

É com isso em mente que as meninas permitem a flexibilização do caminho. Se o litoral é o objetivo principal, os convites para conhecer outras cidades costumam ser aceitos. Afinal, há tempo. Depois de passar pela Amazônia, as viajantes querem ir para a Venezuela. De lá, farão a decisão: seguir viagem rumo ao Norte, subindo pela América Central, ou retornar pela América do Sul ao seu país natal.

Curiosidades

- As meninas saíram da Argentina com uma pequena reserva de dinheiro para casos de emergência e outra para o dia a dia. Em média, o gasto varia entre R$ 10 e R$ 30 por dia;
- Para completar a renda, elas vendem artesanatos e procuram empregos temporários em algumas das cidades visitadas;
- O Ford Falcon já teve um problema mecânico e foi necessária a troca de uma peça. Porém, elas nunca ficaram paradas na estrada;
- Viajando a 80 ou 85 km/h, a dupla sente o estresse imposto pelos motoristas e pela alta velocidade das estradas;
- Enero, o cão que as acompanha, foi adotado pela família de Camila. Ele tem cerca de dez anos;
- A inspiração para a viagem veio, em parte, do livro "Atrapa tu sueño" (Agarre seu sonho), do casal argentino Herman e Candelaris Zapp, que viaja há mais de uma década com a família.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Aventura 02/02/2015 | 15h58

Casal de Jaraguá percorre 8,5 mil km em 31 dias de expedição no Chile

Rodrigo e Sheila Machado passaram um mês em busca de pontos de voo livre nos Andes

Aventura 16/12/2014 | 08h35

Casal jaraguaense parte em expedição de oito mil quilômetros em busca de pontos de voo livre nos Andes

Rodrigo e Sheila Machado passarão ao menos 23 dias na estrado a bordo de um Uno Mille Way

 

Siga A Notícia no Twitter

Veja também

A Notícia
Busca