Paul Pogba é proibido de falar com a imprensa - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Londres03/10/2018 | 11h39

Paul Pogba é proibido de falar com a imprensa

AFP
AFP

Paul Pogba disse na terça-feira que não estava "autorizado" a falar com os jornalistas, segundo informou nesta quarta-feira a imprensa britânica, enquanto o capitão do Manchester United, Antonio Valencia, deu respaldo a José Mourinho, horas depois de dar um 'like' em mensagem que pedia a saída do treinador.

Após empatar sem gol com o Valencia em Old Trafford pela segunda rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, Pogba atravessou a zona mista e pediu desculpas aos jornalistas que queriam conversar com ele: "Me disseram que não estou autorizado a falar".

O francês de 25 anos vive um conflito nas últimas semanas com Mourinho, que lhe tirou a braçadeira de capitão da equipe.

Pogba, substituído de campo aos 25 minutos do segundo tempo na partida contra o Valencia, voltou a se dirigir aos jornalistas que pediam uma palavra quando subia no ônibus para deixar o estádio: "Vocês querem minha morte?".

"Estávamos em casa e deveríamos ter jogado muito melhor contra o Wolves. Tínhamos que atacar", criticou Pogba após empatar em 1 a 1 com o Wolverhampton em 22 de setembro, uma declaração que teria azedado de vez a relação com Mourinho.

Já Antonio Valencia deu um 'like' nas redes sociais numa mensagem de um torcedor que pedia a saída de Mourinho.

"Ontem eu dei um 'like' numa publicação no Instagram sem ter lido o texto que acompanhava a foto", escreveu nesta quarta-feira no Twitter o lateral-direito equatoriano de 33 anos.

"Isso não reflete minha opinião e peço desculpas. Apoio totalmente o treinador e meus companheiros. Damos tudo de nós para melhorar os resultados", completou.

Como aconteceu com Pogba, a relação entre Mourinho e Valencia vem se deteriorando nos últimos tempo, segundo a imprensa britânica, embora o jogador tenha afirmado na terça-feira que "nunca" teve problemas com o técnico.

"As pessoas falam porque não tivemos bons resultados, mas tudo está bem, não há problemas. Tudo vai se acalmar quando vencermos, estamos 100% com o treinador", concluiu.

* AFP

 
A Notícia
Busca