Nove alpinistas sul-coreanos morrem em uma tempestade no Nepal - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Katmandu13/10/2018 | 12h24

Nove alpinistas sul-coreanos morrem em uma tempestade no Nepal

AFP
AFP

Os nove alpinistas de uma expedição sul-coreana morreram no Monte Gurja, no Nepal, devido a uma forte nevasca que devastou seu acampamento, em uma das piores tragédias do alpinismo no Himalaia nos últimos anos.

Os corpos de oito pessoas - quatro sul-coreanos e quatro guias nepaleses - foram encontrados nos escombros de seu acampamento por uma equipe de resgate neste sábado (13), mas as condições climáticas adversas impediram os esforços de busca.

Um quinto alpinista sul-coreano, que inicialmente havia sido dado como desaparecido desde que teve que se juntar à equipe principal, foi encontrado morto no acampamento-base, devastado pela tempestade, fazendo o número de mortos subir para nove, segundo autoridades.

Em compensação, um sexto sul-corano, que se encontrava em uma localidade do vale situado mais abaixo, sobreviveu, acrescentaram as fontes.

O piloto de helicóptero Siddartha Gurung, um dos primeiros a chegar ao acampamento-base após a tempestade, descreveu uma cena de caos para a AFP.

"Tudo desapareceu, todas as barracas voaram, as vítimas estão espalhadas por todo o lugar", explicou o piloto, que conseguiu posicionar seu helicóptero um pouco acima do acampamento, mas não conseguiu se aproximar a pé.

O Ministério do Turismo do Nepal indicou que um segundo helicóptero foi enviado ao local nesta tarde de sábado, embora devido à condição climática "não temos certeza de que possa pousar", disse a porta-voz do ministério, Mira Acharya.

- O mais grave desde 2015 -

Wangchu Sherpa, do Trekking Camp Nepal, organizador da expedição, disse que ativou o alarme depois de 24 horas sem ouvir notícias da equipe.

"Como não pudemos contactar (os alpinistas) desde ontem, enviamos pessoas da aldeia e um helicóptero para procurá-los", explicou ele.

Este é o acidente mais grave desde a avalanche provocada por um terremoto que custou a vida de 18 pessoas no Everest em 2015. Um ano antes, 16 xerpas também morreram de uma avalanche no mesmo pico.

O grupo de alpinistas sul-coreanos e seus guias nepaleses estavam acampados desde o início de outubro, no sopé do Monte Gurja, 7.193 metros acima do nível do mar, esperando que o tempo melhorasse para chegar ao topo.

A expedição foi liderada pelo montanhista sul-coreano Kim Chang-ho, que, em 2013, se tornou a pessoa mais rápida a superar as 14 montanhas mais altas do mundo sem usar oxigênio extra.

Eles planejaram escalar o Monte Gurja, no qual há poucas subidas, por uma rota inédita, de acordo com a Federação Alpina coreana.

O Monte Gurja está localizado na região de Annapurna, perto do pico Dhaulagiri, o sétimo pico mais alto do mundo e muito propenso a avalanches.

Apenas cerca de 30 escaladores conseguiram atingir o Gurja, em comparação com os mais de 8.000 que alcançaram o topo do Everest. Quatro pessoas morreram em suas encostas desde 1969, quando uma equipe japonesa o escalou pela primeira vez.

Milhares de alpinistas viajam todos os anos para o Nepal, onde se encontram oito dos 14 picos mais altos do mundo, uma lucrativa indústria de turismo que é uma fonte fundamental de renda para esse país muito pobre.

* AFP

 
A Notícia
Busca