Figueirense admite que atrasos nos salários variam de dois a três meses - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Série B05/10/2018 | 12h06Atualizada em 05/10/2018 | 12h06

Figueirense admite que atrasos nos salários variam de dois a três meses

Clube publicou nota oficial nesta sexta-feira para explicar a situação

Figueirense admite que atrasos nos salários variam de dois a três meses FFC/Divulgação
Grupo comandado por Vernalha (C) assumiu o Figueirense em agosto de 2017 Foto: FFC / Divulgação
DC Esportes
DC Esportes

A falta de resultados recentes não é o único problema do Figueirense no momento. Fora de campo, o atraso nos salários é outro obstáculo para o clube, que admitiu que o vencimento dos atletas não está em dia. O assunto foi tratado pelo presidente Cláudio Vernalha, em entrevista coletiva concedida na última quinta-feira, e também por meio de nota oficial divulgada na manhã desta sexta.

De acordo com o publicação no site oficial do clube, os atrasos são diferentes dependendo da situação do jogador. Os mais prejudicados são os atletas remanescentes de 2017, que possuem três salários e direitos de imagens em atraso (dois referentes à atual temporada e um de 2017), além de férias. Aqueles que foram contratados neste ano possuem duas parcelas em atraso.

Sobre os jogadores que estão no Figueira por empréstimo, o clube não foi preciso sobre os atrasos. Como alguns têm salários pagos pelo clube de origem e outros pelo Alvinegro, a situação varia para cada atleta.

Vernalha afasta a hipótese de que os resultados não estejam aparecendo por causa dos atrasos. No entanto, a equipe vem de uma sequência de seis partidas sem vitória, que afastou o Furacão da briga pelo acesso e deixa muito remota a chance de chegar à elite em 2019.

— Existem quatro ou cinco times que estão na frente do Figueirense e o atraso é bem maior. Uns com quatro, outros com cinco meses. Não acredito que o elenco está fazendo corpo mole por causa disso. Se não, os outros times, que estão atrasados, não estariam vencendo — frisou o mandatário, que também revelou que R$ 15 milhões foram injetados no clube desde que assumiu, em agosto de 2017.

O Figueirense volta a campo no sábado da próxima semana (13 de outubro), quando recebe o Coritiba, às 19h, no Estádio Orlando Scarpelli.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DIVULGADA PELO CLUBE

Vimos, por meio deste comunicado, esclarecer algumas dúvidas que surgiram sobre a questão salarial após a coletiva da diretoria do Figueirense na tarde de quinta-feira (04):

*Atletas que chegaram em janeiro de 2018 – em atraso: duas imagens e duas CLT’s até a presente data.

*Atletas remanescentes de 2017 – em atraso: duas imagens e duas CLT’s do ano de 2018 e uma imagem e uma CLT referente a novembro de 2017 e férias.

*Atletas que vieram emprestados por outros clubes: existem critérios distintos. Alguns atletas recebem integralmente dos seus clubes de origem. Outros o Figueirense arca integralmente e outros parcialmente com os salários e direitos de imagem.

A diretoria nunca escondeu a questão dos atrasos de salários, e trabalha diariamente para resolver a situação o mais rápido possível. A diretoria agradece a compreensão, atenção e principalmente a dedicação de todos os atletas e funcionários do clube.

Veja mais notícias do Figueirense
Confira a tabela da Série B do Brasileiro 2018

 
A Notícia
Busca