CR7 volta ao Old Trafford e ajuda Juventus a vencer United na Champions - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Manchester23/10/2018 | 18h30

CR7 volta ao Old Trafford e ajuda Juventus a vencer United na Champions

AFP
AFP

Em sua volta a Old Trafford, Cristiano Ronaldo não marcou, mas deu uma assistência para Paulo Dybala anotar o gol da vitória da Juventus por 1 a 0 sobre o Manchester United, ex-clube do português, nesta terça-feira pela 3ª rodada do grupo H da Liga dos Campeões.

Ronaldo, que voltava à Champions depois de cumprir suspensão de dois jogos pela expulsão na estreia da competição e que reencontrou a torcida inglesa que foi sua durante seis anos (2003-2009), foi o autor da jogada que terminou com Dybala balançado as redes aos 17 minutos de jogo.

Superior em campo durante grande parte do jogo, a Juventus não encontrou muita resistência em campo, diante de um Manchester United que voltou a mostrar pouca imaginação ofensiva, apostando praticamente todas suas fichas em bolas alçadas na área italiana, sem sucesso.

Com o resultado, a Juventus segue hegemônica no grupo H da Champions, agora com perfeito 9 pontos em três jogos, o que aproxima o time de Turim da classificação às oitavas de final, enquanto o Manchester United se afasta a cinco pontos do líder.

A situação dos comandados de José Mourinho só não foi pior porque, na outra partida do grupo, o Valencia ficou no empate com o modesto Young Boys (1 ponto) na Suíça e segue em terceiro na chave, agora com 2 pontos.

Na próxima rodada, no dia 7 de novembro, Juventus e Manchester United voltam a se enfrentar, desta vez em Turim, numa partida que pode valer a classificação antecipada à próxima fase para o time italiano. No mesmo dia, o Valencia recebe o Young Boys na Espanha.

- Domínio italiano -

O Manchester United teve muito dificuldade para pressionar a saída de bola da Juventus, que dominou a posse e, consequentemente, o jogo no primeiro tempo.

Nesse cenário, o United só conseguiu uma finalização nos primeiros 45 minutos com Lukaku, em cabeçada facilmente defendida por Szczesny, aos 15 minutos. A partir de então, a partida se tornou um monólogo da Juventus, que deu uma resposta imediata.

No ataque seguinte, Cristiano Ronaldo recebeu em velocidade pela direita e cruzou rasteiro. A zaga do United não conseguiu afastar o perigo e a bola sobrou limpa para Dybala, sozinho na pequena área, tirar de De Gea e abrir o placar.

O gol fora de casa não diminuiu o ímpeto da Juve, que se manteve dona do jogo e se mostrou muito mais perigosa que um Manchester United pouco inspirado.

E, não fosse De Gea, o estrago para os donos da casa teria sido muito maior.

Só no primeiro tempo, o goleiro espanhol salvou o United três vezes em chances claras da Juve.

Na mais impressionante, De Gea rebateu no reflexo uma bomba em cobrança de falta de Cristiano Ronaldo e, no rebote do lance, ainda defendeu chute à queima-roupa de Matuidi (37).

- United tenta, Juve se segura -

No segundo tempo, o cenário da partida não mudou. O Manchester United de José Mourinho seguiu apresentando pouco futebol, uma marca registrada da equipe nesta primeira metade de temporada, enquanto De Gea se virava com o bombardeio adversário.

Curiosamente, Cristiano Ronaldo, maior artilheiro da história da Liga dos Campeões, participou mais do jogo como criador de jogadas, armando como pivô lances para os companheiros, como já havia feito na abertura do placar.

Mas, quando teve a chance de chutar, o português mostrou sua qualidade.

Aos 7 minutos, Cuadrado foi lançado na esquerda e ajeitou para CR7, que soltou o pé da entrada da área. A bola tinha endereço certo: o ângulo de De Gea. O espanhol, porém, voou para defender de mão trocada.

Na parte final do jogo, o United sentiu a corda no pescoço e se lançou ao ataque em busca do empate, mas a falta de criatividade continuava sendo uma sina.

O time de Mourinho pressionou a saída de bola italiana, mas, quando conseguia roubar a bola, se contentava em alçar a bola na área da Juve, um favor que os ingleses faziam à ótima defesa do adversário, que afastou todas as bolas sem dificuldade até o som do apito final.

* AFP

 
A Notícia
Busca