Lyon surpreende e vence City em Manchester na estreia na Champions - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Manchester19/09/2018 | 18h20

Lyon surpreende e vence City em Manchester na estreia na Champions

AFP
AFP

O Manchester City, um dos favoritos ao título da Liga dos Campeões, foi surpreendido e derrotado em pleno Etihad Stadium pelo Lyon por 2 a 1, nesta quarta-feira, na estreia de ambas equipes no Grupo F da competição continental.

Em partida em que os comandados de Pep Guardiola não conseguiram replicar a habitual qualidade de jogo, o Lyon soube aproveitar os muitos erros e desatenções dos ingleses para abrir 2 a 0 no placar no primeiro tempo, gols do marfinense Maxwell Cornet (25 minutos) e de Nabil Fekir (43).

Na segunda etapa, após a entrada do alemão Leroy Sané, que deu outra cara ao ataque dos Citizens, os donos da casa até chegaram a diminuir o prejuízo com o português Bernardo Silva (21). Mas foi só.

Com o resultado, o City, apontado como um dos favoritos ao título da Champions e para passar sem dificuldades às oitavas de final, aparece na lanterna do Grupo F, já que Shakhtar Donestk e Hoffenheim empataram em 2 a 2 na outra partida da chave.

O City precisará de uma vitória na próxima rodada, no dia 2 de outubro na Alemanha contra o Hoffenheim, para recolocar a classificação nos trilhos. No mesmo dia, Lyon e Shakhtar se enfrentam na França.

- Lyon aproveita erros -

Com Gabriel Jesus escalado de titular como centroavante, o Manchester City tentou impor sua qualidade na troca de passes e triangulações em velocidade, mas encontrou dificuldade para criar chances reais de gol diante de um Lyon bem fechado.

A arma mais perigosa do City no primeiro tempo foi o habilidoso Raheem Sterling, que infernizou a vida do lateral-direito brasileiro Rafael, mas não conseguiu assustar de verdade o gol francês.

Na melhor chance do City no primeiro tempo, após boa trama iniciada por Jesus na direita, Sterling cortou dois marcadores e chutou da entrada da área para defesa segura do goleiro Anthony Lopes (18 minutos).

Mas, enquanto sofria com a velocidade de Sterling, o Lyon também complicava a vida da adiantada defesa inglesa quando conseguia recuperar a bola, o que acontecia diversas vezes graças a erros primários de passe dos jogadores do City.

Assim, o jovem marfinense Maxwell Cornet, 21 anos, chegou a marcar aos 23 minutos após ficar na cara do gol e driblar o goleiro brasileiro Ederson, mas o lance foi anulado corretamente por impedimento.

A segunda oportunidade, porém, o gol foi validado. Dois minutos depois, o City deu outra bobeada no meio de campo, Fekir escapou pela esquerda e arriscou um cruzamento despretensioso que Delph, sozinho na pequena área, furou ao tentar afastar o perigo. Cornet aproveitou o erro do inglês para pegar de primeira e acertar o canto do gol de Ederson, que nada pôde fazer.

O gol francês foi uma ducha de água fria no Etihad Stadium e o Manchester, sem seu principal maestro em campo, o belga Kevin De Bruyne, lesionado, e com o suspenso técnico Pep Guardiola assistindo da arquibancada, não conseguiu consertar os erros em tempo.

Pouco antes do intervalo, outra incrível desatenção na saída de bola inglesa deu à luz o segundo gol do Lyon. No lance, Stones tocou para um desatento Fernandinho, que não viu Fekir se aproximando para roubar a bola. O francês levou a melhor, recebeu na frente e acertou chute colocado de fora da área. Ederson sequer se jogou na bola. 2 a 0 Lyon.

- Sané esquenta o jogo -

Na volta do intervalo, o time de Guardiola voltou a campo com uma troca de alemães, com o rápido atacante Leroy Sané no lugar do meia cadenciador Gundogan.

A substituição deu mais verticalidade ao City, mas não acabou com os problemas defensivos da equipe, que seguia tomando contra-ataques perigosos. Sorte que o Lyon não aproveitava as chances.

Os franceses tiveram a oportunidade de matar o jogo de vez aos 14 minutos, quando Ndombélé acertou um lançamento primoroso para Memphis Depay. O holandês ficou cara a cara com Ederson e chutou forte, mas o goleiro da seleção brasileira se esticou todo para dar um toquinho na bola, o suficiente para mandá-la na trave, salvando os donos da casa.

Tendo escapado por um triz de sofrer um terceiro gol, o City conseguiu se recolocar no jogo graças ao talentoso Sané, que entrou muito bem na partida e se tornou o ponto desequilibrante do ataque inglês.

Aos 21, o alemão fez um baile pelo lado esquerdo, driblou dois jogadores e tocou na medida para Bernardo Silva diminuir o prejuízo do City com um chute rasteiro.

Já com o argentino Sergio Aguero em campo no lugar do sumido Gabriel Jesus, o City armou um pressão final em busca do empate.

O próprio Aguero teve duas chances de igualar o placar em dois fortes chutes, aos 27 e 44 minutos, mas as duas finalizações foram defendidas no reflexo por Lopes.

Ao som do apito final, o forte esquema defensivo armado pelo técnico Bruno Génésio conseguiu segurar o ímpeto de um pouco inspirado City para dar uma vitória improvável para o Lyon e sacudir o Grupo F da Champions.

* AFP

 
A Notícia
Busca