Catarinense Vitor Miranda é demitido do UFC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Na Guarda09/08/2018 | 00h06Atualizada em 09/08/2018 | 00h06

Catarinense Vitor Miranda é demitido do UFC

Lutador explicou nas redes sociais como aconteceu a saída do Ultimate

Catarinense Vitor Miranda é demitido do UFC Paula Miranda/Divulgação
Foto: Paula Miranda / Divulgação

Um dos remanescentes do TUF Brasil 3, em 2014, o catarinense Vitor Miranda, 39 anos, fez sete lutas no UFC, a última delas no dia 22 de julho, fechando uma sequência de três derrotas. Os resultados negativos, diante das cláusulas contratuais, fizeram o Ultimate demitir o lutador.

Dos sete combates que fez pela organização, Vitor venceu três e perdeu quarto. Nas suas redes sociais, o lutador expôs como recebeu a notícia de que não era mais atleta do UFC e explicou também o que ele pretende fazer daqui pra frente.

Leia mais
Vitor Miranda analisa o que deu errado no UFC Hamburgo
Vídeo: Natan Schulte quebra a banca ao finalizar ex-UFC e ficar em primeiro no PFL MMA

— Já estou negociando com um novo evento, tenho a possibilidade de voltar a lutar muay thai, que é a minha paixão de verdade, a minha jornada ainda não terminou, muito pelo contrário, está se iniciando uma nova etapa — diz o catarinense em trecho do texto.

Confira abaixo o depoimento completo:

FUI DEMITIDO DO UFC, E AGORA? As 4 horas da manhã eu levantei pra esvaziar a bexiga e por força de um hábito muito feio(eu sei), levei o telefone junto para dar uma olhadinha. Entrei no email e estava lá uma mensagem do UFC: “Informamos que a ZUFFA está exercendo seu direito de acelerar o prazo de suas obrigações promocionais previamente firmado entre você (o lutador) e o UFC, com vigência a partir da data do aviso... A partir do momento que eu perdi três lutas seguidas no UFC, essa notícia era uma possibilidade, porém a gente sempre espera o melhor né... Eu esperava conseguir mais uma nova oportunidade, refazer minha estratégia de treinamento, mudar de categoria... Enfim. Mas a fila anda, roda gira e o capitalismo não faz caridade. Se eu quero rir, eu tenho que fazer rir e isso é um fato! O que me reserva o futuro? Muitas coisas ainda �� já estou negociando com um novo envento, tenho a possibilidade de voltar a lutar muay thai, que é a minha paixão de verdade, a minha jornada ainda não terminou, muito pelo contrário, está se iniciando uma nova etapa. E Cara nós somos lutadores, eu e você! A gente não desiste nunca mano! Se perdemos uma batalha, a gente levanta, bate a poeira e vai em busca no próximo obstáculo,certo? Eu quero deixar minha gratidão pelo UFC, evento que sempre sonhei lutar. Quando as coisas são destinadas a acontecer não importa o envento que você luta, a cidade onde mora, a família que vc tem.. As coisas irão acotecer de qualquer maneira. Mais cedo ou mais tarde. Porém foi estando no UFC que muita coisa maravilhosa aconteceu nos ultimos 4 anos.. Então muita gratidão por esse evento grandioso que é o UFC! Eu pude participar do TUF brasil 3 e com isso muitas pessoas conheceram minha história, com a minha contratação pelo UFC realmente pude me tornar uma referência legal de superação dentro e fora do octagon. Pude adquirir um estilo de vida pra minha família que a gente sempre buscou.. Eu e minha esposa lutamos e nos sacrificamos 12 anos para que esses ultimos 4 se tornassem realidade. E agora um novo ciclo de oportunidades se inicia. Então, não há nada que eu deva fazer diferente de recomeçar e continuar lutando!!

Uma publicação compartilhada por Vitor Miranda (@vithai) em

Leia também
Aos 37 anos, Gisele Moreira está perto de realizar o sonho de entrar no UFC
Seis atletas de SC vão em busca do contrato com o UFC no Contender Series

 
A Notícia
Busca