Nadal, Federer e Serena iniciam reta final em Wimbledon - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Wimbledon08/07/2018 | 10h12

Nadal, Federer e Serena iniciam reta final em Wimbledon

AFP
AFP

Roger Federer e Rafael Nadal podem dar mais um passo para tentar repetir a final de 2008, enquanto Serena Williams sonha recuperar a coroa em Wimbleon, que terá a famosa "segunda-feira louca" com todos os jogos de oitavas de final no mesmo dia.

Torneio de tradições inegociáveis, Wimbledon não tem jogos no primeiro domingo de sua quinzena, o que explica que segunda-feira tenha que receber todos as partidas de oitavas de final. Federer enfrenta o francês Adrian Mannarino (22º do mundo), enquanto Nadal encara o tcheco checo Jiri Vesely (93º).

- Caminho livre para Serena -

No quadro feminino, apenas uma das 10 primeiras cabeças de chave continua viva, a tcheca Karolina Pliskova. A americana Serena Williams, que assumiu a 25ª posição de favorita por conta da ausência maternidade no ano passado, encara a russa Evgeniya Rodina (120º).

As fases finais do Grand Slam no mítico gramado londrino não contarão com a campeã da última edição, a espanhola Garbiñe Muguruza, a dinamarquesa Caroline Wozniacki, as americanas Sloane Stephens e Madison Keys, a ucraniana Elina Svitolina, a tcheca Petra Kvitova e a francesa Caroline García. A atual líder do ranking WTA, a romena Simona Halep, também foi eliminada de maneira precoce.

- Lendária final de 2008 mais próxima -

Com a vitória de sábado sobre o australiano Alex de Miñaur, Nadal garantiu o topo do ranking mundial após o fim de Wimbledon, independentemente do que fizer o suíço Federer. Mas o objetivo é recuperar o trono de um torneio em que não supera as oitavas de final desde 2011, quando perdeu a final para o sérvio Novak Djokovic.

"Estou feliz pela maneira de jogar desta primeira semana. Três jogos, cada um deles mais positivo que o outro", disse Nadal no sábado. "Não joguei contra grandes sacadores, mas enfrentei rivais que sabem jogar nesta superfície", acrescentou o espanhol.

O próximo adversário tem a característica comentada por Nadal. Vesely, de quase dois metros de altura, fez 17 aces na vitória sobre o italiano Fabio Fognini.

"Prefiro ser número 1 do que número 2, sem dúvida. Mas não vim aqui para manter o topo, vim para fazer o melhor torneio possível", disse Nadal, bicampeão no All England Club. Se vencer este ano, o espanhol pode vencer Wimbledon-Roland Garros em uma mesma temporada três vezes, igualando o feito único do sueco Bjorn Borg.

O título seria o 18º em Grand Slams, aproximando Nadal do recorde de 20 troféus de Roger Federer nesta categoria.

Uma final entre os dois, dez anos depois da partida considerada por muitos como a melhor da história -6-4, 6-4, 6-7 (5-7), 6-7 (8-10), 9-7 para Nadal-, seria a melhor chance de Wimbledon competir com a decisão da Copa do Mundo da Rússia-2018, que começa duas horas depois.

- Del Potro quer atrapalhar -

Del Potro quer estragar os planos da final dos sonhos, já que pode enfrentar Nadal na semifinal, algo que muitos o veem como o único capaz de evitar a decisão entre o espanhol e o suíço.

"Tive minhas chances de vencer aqui há alguns anos, quando perdi para Novak Djokovic nas semifinais", lembrou a "Torre de Tandil" sobre o jogo de 2013.

"Não sei o quão longe chegarei, mas me sinto confiante", concluiu.

al/am/zm\fa

* AFP

 
A Notícia
Busca