Fifa convida meninos presos em caverna da Tailância para a final da Copa - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Moscou06/07/2018 | 06h27

Fifa convida meninos presos em caverna da Tailância para a final da Copa

AFP
AFP

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, convidou os meninos que estão presos em uma caverna da Tailândia para a final da Copa do Mundo da Rússia-2018, na expectativa de um resgate antes de 15 de junho, data da decisão em Moscou.

Infantino afirmou esperar que os integrantes da equipe 'Wild Boars', presos em uma caverna inundada há quase duas semanas, sejam resgatados a tempo de viajar para a capital russa.

"Se, como todos desejamos, se reencontrarem com suas famílias nos próximos dias e sua saúde permitir que façam a viagem, a Fifa ficaria feliz de convidá-los para assistir a final do Mundial-2018", escreveu Infantino em uma carta enviada ao presidente da Federação Tailandesa de Futebol.

"Sinceramente, espero que possam se unir a nós para assistir a final, que indubitavelmente será um momento de união e celebração", completou.

Os 12 jovens, com idades entre 11 e 16 anos, estão presos desde 23 de junho em uma caverna ao lado do treinador de 25 anos.

Os meninos foram encontrados na segunda-feira por mergulhadores britânicos, mas as equipes de emergência ainda não conseguiram retirá-los da caverna por causa da inundação.

Várias personalidades do futebol demonstraram solidariedade ao drama dos tailandeses nos últimos dias.

"São notícias terríveis e o mundo do futebol espera que alguém possa encontrar a maneira de retirar estes jovens da caverna", afirmou o ex-jogador brasileiro Ronaldo em um evento da Fifa.

O técnico do Liverpool, o alemão Jürgen Klopp, pediu que os meninos "sejam fortes".

"Estamos acompanhando as notícias e esperamos que vejam a luz do dia outra vez. Todos somos muito otimistas ante o que pode acontecer, esperamos que seja em minutos, horas ou poucos dias", afirmou.

O zagueiro inglês John Stones afirmou que conversou sobre a situação dos jovens tailandeses com os colegas de seleção.

"É muito triste ver onde estão e esperamos que possam ser resgatados sãos e salvos", disse.

* AFP

 
A Notícia
Busca