Em nova disputa por pênaltis, Croácia elimina Rússia e encara Inglaterra na semifinal - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Sochi07/07/2018 | 18h27

Em nova disputa por pênaltis, Croácia elimina Rússia e encara Inglaterra na semifinal

AFP
AFP

A Croácia venceu a anfitriã Rússia por 4 a 3 na disputa por pênaltis, neste sábado em Sochi, depois de empate em 2 a 2 com bola rolando, e vai enfrentar a Inglaterra na semifinal da Copa do Mundo.

Mário Fernandes, brasileiro naturalizado russo, foi de herói a vilão ao marcar o gol de empate a cinco minutos do fim da prorrogação, mas desperdiçar sua cobrança na marca da cal. Ivan Rakitic foi o responsável de converter a última batida e garantir a vaga croata entre os quatro melhores do mundial.

No tempo regulamentar as equipes empataram em 1 a 1, com o russo Denis Cheryshev abrindo o placar aos 31 minutos e Andrej Kramaric igualando a disputa oito minutos depois.

Na prorrogação, Vida colocou os croatas em vantagem, aos 11 da primeira etapa complementar, mas Mário Fernandes levou o jogo para os pênaltis a cinco minutos do apito final.

Em nova disputa por pênaltis para Danijel Subasic e Igor Akinfeev, decisivos nas classificações nas penalidades contra Dinamarca e Espanha nas oitavas de final, os dois arqueiros defenderam uma cobrança cada. O chute de Mário Fernandes para fora acabou sendo determinante para a eliminação da anfitriã.

A Croácia volta a disputar uma semifinal de Copa do Mundo pela primeira vez desde 1998, quando a equipe fez sua melhor campanha ao terminar na terceira colocação sob a liderança de Davor Suker.

Croácia e Inglaterra se enfrentam na quarta-feira, às 15h pelo horário de Brasília, enquanto Bélgica e França duelam por uma vaga na final no dia anterior.

- Início agitado -

Os primeiros minutos mostraram que as duas equipes buscariam a vitória para avançar na competição. Os times mostraram um futebol franco, buscando o gol desde os instantes iniciais.

A Rússia chegou com perigo, aos 2 e 4 minutos, mas os chutes de Cheryshev e Dzyuba foram bloqueados pela defesa. Já a Croácia assustou com cabeçada de Rebic e chute torto de Mandzukic, aos 6 e 11 minutos, respectivamente.

Mas a partida diminuiu de intensidade e ficou morna depois dos primeiros 15 minutos. Ambas equipes trocavam passes no meio de campo e tinham dificuldades de encontrar soluções para furar o bloqueio adversário.

Mas a partida voltou a ganhar em emoção com um golaço de Cheryshev, aos 31 minutos. Após triangulação de Dzyuba na intermediária, o atacante emendou um balaço com a perna canhota e acertou o ângulo de Subasic, que nada pôde fazer.

Pouco depois, a Croácia conseguiu recuperar a igualdade em jogada pelo lado esquerdo. Mandzukic invadiu a área e cruzou na cabeça de Kramaric, que mesmo em meio a quatro defensores conseguiu testar cruzado para vencer Akinfeev, aos 39.

- Cansaço -

Na volta do intervalo, a Croácia começou dominando as ações ofensivas, mas encontrou muita dificuldade de sobrepor as linhas de marcação russas. O estilo defensivo da anfitriã foi capaz de segurar o poderoso ataque espanhol e fazia bem seu trabalho em complicar as opções de passe de Modric e Rakitic.

A primeira chegada de perigo veio só aos 14 minutos, após uma trapalhada da defesa russa que criou um bate-rebate dentro da área. Perisic acabou pegando a sobra e chutando cruzado, mas acertou o pé da trave e viu a bola correr por cima da linha e teimar em não entrar.

A resposta da anfitriã chegou aos 26 minutos, em cabeçada Erokhin que saiu por cima do gol. A Rússia deixava a bola com a Croácia e apostava na ligação direta entre defesa e ataque.

Com o passar do tempo, foi ficando nítido o cansaço das duas equipes, que precisaram de prorrogação e pênaltis para superarem as oitavas de final. No entanto, nenhuma das seleções demonstrou forças para evitar mais 30 minutos de jogo.

- Mário Fernandes do céu ao inferno -

No início da primeira etapa extra, a partida continuou com o mesmo roteiro, mas cobrando a conta do desgaste das equipes. A Croácia quase perdeu Subasic por lesão e viu Mandzukic jogar no sacrifício, após Versaljko ser substituído com dores no joelho esquerdo.

Apesar dos problemas, os croatas conseguiram virar o placar depois de tanto insistir. Em cobrança de escanteio, Vida subiu para cabecear com firmeza no cantinho, aos 11. Com muita gente na frente, Akinfeev não teve tempo de reagir.

Nos 15 minutos finais, o técnico russo Stanislav Cherchesov apelou para tentar motivar o estádio em busca de uma reação de sua equipe. A Rússia teve a chance do empate em chute de Kuziaev, aos 6 minutos, mas Subasic fez boa defesa.

A cinco minutos do apito final, o herói apareceu na figura do brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes. Em cobrança de falta de Dzagoev, o lateral conseguiu a cabeçada mortal para estufar as redes e levar o jogo para os pênaltis.

No duelo entre os goleiros Subasic e Akinfeev, decisivos nas classificações de suas seleções nas oitavas de final, ambos defenderam uma cobrança cada.

Salvador da anfitriã na prorrogação, Mário Fernandes acabou se tornando vilão ao mandar sua cobrança para fora e ver Rakitic converter a última batida para confirmar a Croácia na semifinal.

* AFP

 
A Notícia
Busca