Croácia enfrenta euforia da Rússia por vaga nas quartas de final - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Sochi06/07/2018 | 14h27

Croácia enfrenta euforia da Rússia por vaga nas quartas de final

AFP
AFP

Nunca tinha chegado tão longe até sediar a Copa do Mundo. Impulsionada pelos torcedores, a anfitriã Rússia enfrenta a talentosa geração da Croácia de Luka Modric, neste sábado em Sochi, em busca de vaga nas semifinais.

Os croatas querem superar os ídolos de 1998, que terminaram na terceira colocação da Copa da França. Mas a Rússia tem a oportunidade de ouro para continuar surpreendente e se colocar entre os quatro melhores da competição.

"Respeitamos a geração de 98. São o time croata mais exitoso até agora, colocaram um nível tão alto que ninguém conseguiu superá-los em 20 anos", afirmou o zagueiro Dejan Lovren. "Ainda assim, o time de agora é muito bom e temos a oportunidade de melhorar", acrescentou.

- Líder -

Para isso, a Croácia se apoia nas grandes atuações na fase de grupos, especialmente na vitória sobre a Argentina de Lionel Messi (3-0). E Modric, camisa 10 da equipe e craque do Real Madrid, é peça fundamental para continuar o crescimento na competição.

"Luka Modric é nosso capitão e nosso líder. Mostrou grande responsabilidade e valentia depois de perder o pênalti (contra a Dinamarca), voltando a bater na disputa por pênaltis e marcando", valorizou o técnico Zlatko Dalic.

"Isso demonstra sua classe mundial e a diferença entre um jogador normal e Luka, porque não foi fácil para ele", ressaltou.

Não será fácil para a Croácia derrubar o murro russo, que demonstrou eficiência diante da favorita Espanha. No final, a campeã mundial foi eliminada pela anfitriã nas oitavas de final, após disputa por pênaltis.

Até o presidente Vladimir Putin ligou para o técnico Stanislav Cherchesov para desejar sorte, mas o time "já tinha conseguido o impossível, superar a fase de grupos", informou o Kremlin.

Nunca desde a dissolução da União Soviética a Rússia tinha superado a fase de grupos. Agora o país está eufórico para tentar a vaga nas semifinais.

"Vladimir Putin me ligou, antes da Espanha e depois", admitiu nesta sexta-feira o técnico Stanislav Cherchesov. "Quando o presidente dá seu apoio, isso nos dá confiança e os jogadores sentem. É uma motivação extra para nós", acrescentou.

- Surpresa -

Apesar de chegar à Copa do Mundo como a pior seleção no ranking da Fifa, após oito meses sem vencer, a anfitriã surpreendeu com vitórias sobre Arábia Saudita (5-0), Egito (3-1) e perdeu para o Uruguai (3-0).

A maior conquista, no entanto, aconteceu nas oitavas de final contra a campeã mundial de 2010, vencendo nos pênaltis por 4-3 após empate em 1 a 1. O goleiro Igor Akinfeev defendeu duas penalidades e levou o estádio Luzhniki de Moscou ao delírio.

Mas os anfitriões querem controlar o entusiasmo antes do jogo mais importante.

"As pessoas podem estar eufóricas, mas a equipe não deve. O torneio continua e um time que era um dos melhores, a Espanha, já fez as malas e foi para casa. Amanhã é preciso começar no máximo desde os primeiros segundos", lembrou Cherchesov.

* AFP

 
A Notícia
Busca