Técnico da Chapecoense quer manter nível de  desempenho - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Série A10/06/2018 | 07h28Atualizada em 10/06/2018 | 07h28

 Técnico da Chapecoense quer manter nível de  desempenho

Gilson Kleina diz que o time não pode baixar nível de concentração

 Técnico da Chapecoense quer manter nível de  desempenho Márcio Cunha / Especial/Especial
Apodi, que havia falhado contra o Vitória, foi decisivo na partida contra o Cruzeiro, fazendo o cruzamento do primeiro gol Foto: Márcio Cunha / Especial / Especial

Uma vitória convincente. Essa foi a definição do desempenho da Chapecoense nos 2 a 0 diante do Cruzeiro, no sábado à noite, na Arena Condá, dada pelo técnico Gilson Kleina na entrevista coletiva após o jogo.

Kleina avaliou que o primeiro tempo foi truncado mas que na segunda etapa, principalmente após a entrada de Luiz Antônio, e a postura de 4-4-2, liberando mais o lateral Apodi, o time conseguiu criar as chances para a vitória.

O treinador também elogiou o jovem Bruno Silva, de 18 anos, que entrou e cinco minutos depois marcou um gol.

- O Bruno mudou o ritmo do jogo, é um garoto que vem sendo trabalhado, que vem sendo lapidado e que está de parabéns a exemplo de todo o grupo- disse Kleina.

Para o comandante do Verdão, o grande desafio é dar uma regularidade de desempenho para este time, que uma hora vence o líder Flamengo e outra hora perde para times na parte de baixo da tabela.

- O grande desafio é manter o nível de desempenho fora, como tivemos contra o Atlético-MG, contra o Fluminense até criamos mas não tivemos o resultado, contra o Atlético, com um homem a menos, foi um empate épico. Vamos conversar amanhã para que a gente possa manter o nível de competitividade. Não pode baixar o nível de concentração – disse Kleina.

Na avaliação do treinador a equipe poderia estar numa situação mais tranquila, sem enfrentar tanta pressão quanto enfrentou após a derrota diante do Vitória.

Mas reconhece que o campeonato é difícil e que para conseguir pontos precisa manter a postura de uma equipe aguerrida.

O treinador disse que resta agora encarar a última partida do que chamou de “minicampeonato mineiro”, pois a Chapecoense atuou nas últimas três rodadas contra o Atlético-MG (3 a 3), contra o Cruzeiro ( 2 a 0) e agora encara o América-MG, na quarta-feira.

Ele considera que a parada da Copa do Mundo, mesmo sendo para todos os times, será boa para a Chapecoense por ter disputado várias competições – Brasileiro – Copa do Brasil – Libertadores e Catarinense – e sofrido com lesões que foram consequência do curto espaço de preparação. A parada da Copa vai dar tempo de  recuperar jogadores e preparar melhor o time.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense no DC


 
A Notícia
Busca