Sueliton não quer que clima de Copa distraia o Criciúma: "Nosso foco é o Oeste" - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Concentração13/06/2018 | 17h03Atualizada em 13/06/2018 | 17h10

Sueliton não quer que clima de Copa distraia o Criciúma: "Nosso foco é o Oeste"

Tigre depende apenas de si para sair da zona de rebaixamento nesse sábado

Sueliton não quer que clima de Copa distraia o Criciúma: "Nosso foco é o Oeste" Guilherme Hahn/Especial
Lateral admite desconforto com a permanência do Tigre na zona de rebaixamento desde o início da Série B Foto: Guilherme Hahn / Especial
Renan Medeiros

Os jogadores do Criciúma até fizeram um bolão, mas nenhuma aposta vale tanto quanto a saída da zona do rebaixamento. O foco do Tigre está todo na sequência do Campeonato Brasileiro da Série B, que não para com a Copa do Mundo da Rússia. É o que garante o lateral-direito Sueliton, um dos jogadores com maior identificação com o clube e a cidade.

—Espero que a Seleção faça uma grande Copa, mas nossa preocupação maior é o Brasileiro. Tenho foco muito maior aqui. Respeito quem está lá e a gente quer que o Brasil siga fazendo bons jogos, mas o nosso foco é no treinamento aqui. Se for para treinar e esquecer o jogo, assim será. Nosso foco é o Oeste — frisou Sueliton, referindo-se ao próximo adversário do Tigre na Série B.

A delegação viaja nessa sexta-feira para Barueri, onde enfrentará o time paulista no sábado, às 19h. Mazola Júnior tem alguns problemas para escalar o time, com as lesões de Jean Mangabeira e Eduardo. Marlon Freitas e Ralph devem ser os substitutos.

Com três pontos de diferença para o 16º colocado, que é o próprio Oeste, o Criciúma tem uma chance palpável de deixar o Z-4 pela primeira vez desde a chegada de Mazola. Para conseguir, o Tigre só depende de si.

Se vencer o Oeste, ganha ao menos duas posições: a do adversário e do Goiás, que tem um saldo de gols inferior ao do time carvoeiro. O Brasil de Pelotas também ficará para trás, caso o Criciúma vença e o time gaúcho não ganhe do líder Fortaleza, na capital cearense.

— O pensamento da gente é jogo a jogo. Sempre conversamos no vestiário que toda partida é uma final. É isso que estamos fazendo. O professor ainda vai trabalhar a parte tática e ver o que vai ser melhor para enfrentar o Oeste. Espero que a gente traga o resultado para sair de vez da zona de rebaixamento, que nos deixa desconfortável — projeta o lateral.

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

 
A Notícia
Busca