Lopetegui será o técnico do Real Madrid nas próximas três temporadas - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Madri12/06/2018 | 15h52

Lopetegui será o técnico do Real Madrid nas próximas três temporadas

AFP
AFP

Julen Lopetegui, atual técnico da seleção espanhola, vai treinar nas próximas três temporadas o Real Madrid depois do Mundial da Rússia, anunciou o clube espanhol nesta terça-feira (12), quase duas semanas depois da saída de Zinedine Zidane.

"O Real Madrid C. F. comunica que Julen Lopetegui será o técnico do time principal durante as próximas três temporadas", indicou o clube em um comunicado que caiu como uma bomba, já que as especulações dos últimos dias não foi citado seu nome.

De fato, no mês passado, Lopetegui, técnico da Espanha desde 2016, renovou seu contrato com a Roja até 2020.

Segundo explicou o Real Madrid no comunicado, "ele se incorporará ao clube depois da participação da seleção espanhola no Mundial".

O técnico, de 51 anos, participa de sua primeira Copa como técnico.

A primeira partida da Espanha no Mundial será na sexta, contra Portugal.

Pouco depois do comunicado do Real Madri, a Federação Espanhola de Futebol (RFEF) também anunciou que o técnico se desvinculará da organização assim que terminar a participação da Espanha no Mundial.

Para isso, a Federação "receberá o pagamento da cláusula de rescisão para a que o técnico possa assinar com o Real Madrid".

Segundo a edição online do jornal esportivo espanhol Marca, esta cláusula de rescisão do contrato com a seleção espanhola chega a 2 milhões de euros.

Lopetegui sucede o francês Zinedine Zidane, com quem os merengues venceram as últimas três Ligas de Campões, totalizando treze títulos.

No entanto,a pressão era muito forte e ele foi muito criticado quando a equipe foi eliminada na Copa do Rei, perdendo para o modesto Leganés.

Julen Lopetegui se tornará, assim, o 12º técnico merengue sob a presidência de Florentino Pérez, no cargo de 2000 a 2006 e depois desde 2009 até agora.

Ele e o presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales, devem oferecer na quarta-feira uma coletiva de imprensa às 11h30 locais (05h30 de Brasília) para explicar a transação.

O técnico espanhol voltará a um clube no qual jogou, apesar de sem muitas oportunidades, como goleiro, entre 1989 e 1991, depois de também defender suas cores entre 1985 e 1988.

- Um nome que ninguém esperava -

Desde a saída de Zidane, vários nomes foram aventados para substitui-lo, do técnico do Tottenham, Mauricio Pochettino, ao alemão do Liverpool, Jurgen Klopp, passando pelo italiano Antonio Conte, do Chelsea, mas em momento algum se havia especulado a possibilidade de Lopetegui.

Sua escolha acabou com uma verdadeira dor de cabeça para Florentino Pérez, o primeiro a se surpreender com a saída de Zidane.

Lopetegui conduziu na manhã desta terça-feira a sessão de treinos com seus comandados em Krasnodar, sem dar qualquer sinal do que iria acontecer.

A RFEF, por sua vez, pediu "o máximo respeito para se manter a normalidade na concentração da seleção".

- Tarefa difícil pela frente -

Além do Real Madrid, Lopetegui jogou pelo Logroñés, Barcelona e Rayo Vallecano. Como técnico das seleções juvenis da Espanha, ganhou a Eurocopa Sub-19 de 2012 e o Europeu Sub-21 de 2013, em um desempenhou que lhe valeu a nomeação para a seleção nacional.

O Real Madrid será sua primeira experiências como técnico na primeira divisão espanhola, depois de uma breve passagem pela segunda no Rayo Vallecano, no início da carreira, e seus dois anos à frente do Porto português (2014/2016), clube com o qual ficou o segundo na liga portuguesa em 2015 e foi eliminado nas quartas da 'Champions' esse ano.

Com uma folha de serviços impecável com a Roja, a qual conduziu em 20 partidas sem conhecer a derrota, e uma brilhante classificação para o Mundial da Rússia (nove vitórias, um empate), Lopetegui enfrentará depois da Rússia uma difícil missão frente a sua nova equipe.

Para começar, terá de resolver oc aso Cristiano Ronaldo, que voltou a aventar deixar o Real Madrid à espera de um aumento de salário, e o sempre interesse do clube pelo brasileiro Neymar. Sem falar do desafio de superar a enorme lista de conquistas de seu antecessor Zidane.

Mas antes disso, Lopetegui ainda tem pela frente um Mundial, que ainda sequer começou.

* AFP

 
A Notícia
Busca