De Zidane a Luis Suárez, um time de "bad boys" na Copa do Mundo - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Samara10/06/2018 | 11h17

De Zidane a Luis Suárez, um time de "bad boys" na Copa do Mundo

AFP
AFP

Durante a Copa do Mundo, nem sempre é só o talento que aflora nos jogadores. Muitas vezes são a maldade e a malandragem que vêm à tona, como no caso de Harald Schumacher ou Luis Suárez.

Veja um time de jogadores "bad boys" formado por Schumacher - De Jong, Materazzi, Bilic, Cannavaro, Boulahrouz - Roy Keane, Zidane, Maradona - Deco, Luis Suárez.

- Schumacher e os dentes de Battiston -

Os dentes do zagueiro francês Patrick Battiston, selvagemente golpeado dentro da área pelo goleiro alemão Harald "Toni" Schumacher, ficaram espalhados pelo gramado na semifinal da Copa do Mundo da Espanha de 1982.

Os alemães conseguiram buscar o empate em 3 a 3 depois de saírem perdendo por 3 a 1. Nas penalidades, a Mannschaft venceu por 5 a 4.

- Boulahrouz, Deco e "a batalha de Nuremberg" -

Khalid Boulahrouz, de laranja, e Deco, de grená, simbolizam a terrível "Batalha de Nuremberg" pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Alemanha-2006. A partida foi marcada por lances violentos, com o recorde de 16 cartões amarelos e quatro cartões vermelhos distribuídos pelo árbitro russo Valentin Ivanov.

Boulahrouz foi punido por entrada dura em Cristiano Ronaldo e cotovelada em Luis Figo. Já Deco viu cartão amarelho por uma 'tackle' sobre John Heitinga e depois agarrando a bola com a mão contra Philipp Cocu.

- 'Karate Kid' De Jong -

Nigel De Jong (Holanda) não foi campeão do mundo, mas se tornou célebre por uma voadora no peito de Xabi Alonso na final da Copa do Mundo da África do Sul-2010, quando a Laranja Mecânica perdeu por 1 a 0 na prorrogação.

O árbitro inglês Howard Webb só puniu o volante com um cartão amarelo, aos 28 minutos, mas a partida foi muito violenta e teve ao total 14 cartões amarelos e um vermelho (Heitinga).

- Materazzi-Cannavaro, zaga italiana -

A defesa formada por Marco Materazzi e Fabio Cannavaro foi uma das responsáveis pelo título da Itália na Copa de 2006, com vitória nos pênaltis sobre a França após empate em 1 a 1 na decisão.

Materazzi provocou Zinedine Zidane, que acabou expulso aos 110 minutos de jogo após cabeçada violenta no peito do defensor. Cannavaro, eleito melhor jogador do mundo naquele ano, deu forte entrada em Thierry Henry no primeiro minuto da final e não foi punido.

- Oscar para Bilic -

A atuação do croata Slaven Bilic chega a ser cinematográfica. Encostado no rosto pelo francês Laurent Blanc durante a semifinal da Copa do Mundo da França-1998, o jogador se jogou no chão cobrindo a face e fingindo muitas dores.

A ação provocou um cartão vermelho para Blanc, que ficou de fora da vitória por 3 a 0 na final contra o Brasil. Mesmo com 10, os 'Bleus' resistiram para vencer a Croácia por 2 a 1.

- As palavras de Roy Keane -

O irlandês Roy Keane apareceu regularmente na crônica obscura da Premier League, incluindo a ruptura intencional dos ligamentos de Alf-Inge Haland, que acabou se aposentando.

Keane entrou para história dos Mundiais por sua auto-exclusão da edição da Coreia do Sul e do Japão em 2002, depois de insultar Mick McCarthy. Posteriormente, Keane afirmou ter dito "você foi um jogador de merda, é um técnico ainda pior (...). Idiota, treinador de merda (...) Foda-se você e sua Copa do Mundo".

- 'Cabeçada' de Zidane -

O francês Zinédine Zidane é celebrado por seus lances de classe, mas o meia foi também um dos únicos jogadores expulsos duas vezes em Copas do Mundo, ao lado do camaronês Rigobert Song (1994-1998).

Na França-1998, 'Zizou' pisou no saudita Fuad Amin no segundo jogo da seleção anfitriã na fase de grupos, sendo suspenso por dois jogos.

Na Alemanha-2006, deixou o time com 10 na final contra a Itália após dar a histórica cabeçada no peito de Materazzi na prorrogação. Foi o último ato de Zidane em sua carreira de jogador.

- Diabólico Maradona -

Diego Maradona foi um craque, bom e mau ao mesmo tempo. Em 1986, abriu o placar para a Argentina com o toque de mão mais famoso da história do futebol, nomeando ele próprio a ação como "a mão de Deus".

Mas já constava em seu histórico obscuro sua expulsão contra o Brasil, quatro anos antes, após violento chute nas região genial do volante Batista, em jogo válido pela segunda fase da Copa do Mundo da Espanha-1982.

- Suárez, com unhas e dentes -

Luis Suárez apareceu duas vezes nas manchetes, em duas Copas do Mundo consecutivas.

Na África do Sul-2010, sua mão intencional para evitar um gol de Gana no último minuto valeu um merecido cartão vermelho, mas acabou classificando o Uruguai para as semifinais, já que os africanos perderam a cobrança. Na disputa por pênaltis, melhor para os sul-americanos (1-1, 4-2 nos pênaltis).

Na Copa do Mundo do Brasil-2014, Suárez mordeu o ombro de Giorgio Chiellini mas terminou a partida contra a Itália impune. O Uruguai venceu por 1 a 0 com gol de Diego Godín e o "pistoleiro" foi suspenso com nove jogos da seleção uruguaia e quatro meses de exclusão do futebol.

* AFP

 
A Notícia
Busca