Figueirense tem queda de aproveitamento sem a dupla Betinho e Zé Antônio - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Série B17/05/2018 | 07h15Atualizada em 17/05/2018 | 07h15

Figueirense tem queda de aproveitamento sem a dupla Betinho e Zé Antônio

Atletas não estarão em campo contra o Fortaleza, nesta sexta-feira, no Orlando Scarpelli

Figueirense tem queda de aproveitamento sem a dupla Betinho e Zé Antônio Luiz Henrique/Figueirense
Foto: Luiz Henrique / Figueirense
João Lucas Cardoso
João Lucas Cardoso

joao.lucas@somosnsc.com.br

Zé Antônio e Betinho. Dupla de volantes que o torcedor do Figueirense se acostumou a recitar na escalação e aprendeu a confiar quando estão em ação. A ausência deles causa receio ao alvinegro das arquibancadas e os números endossam os calafrios. O aproveitamento da equipe é superior quando ambos estão juntos em campo. O Figueira somou 67,8% dos pontos disputados ao longo da temporada. Quando Zé Antônio e Betinho estão em campo, o percentual sobe para 75,4%. Nesta sexta-feira, o Alvinegro terá de se virar sem os dois. 

Eles são desfalques no confronto ante o Fortaleza, às 21h30min, pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Zé Antônio está suspenso da partida no Orlando Scarpelli, fica fora pelo terceiro cartão amarelo acumulado. Betinho ainda aguardava o resultado de exames realizados na noite de quarta-feira, mas é improvável que esteja em condições. No jogo passado, a derrota por 1 a 0 para o Avaí, ele atuou apenas no primeiro tempo e deixou o campo com dores no tornozelo esquerdo. O inchaço obrigou que a ressonância magnética fosse realizada dias depois.

O técnico Milton Cruz e o grupo perdem com a ausência dos dois. Isso porque o aproveitamento individual de cada um também é maior que o do time. Com Zé Antônio em ação, o Figueirense somou 68% dos pontos em disputa. Com Betinho em campo, o aproveitamento da equipe é de 71,4%. O percentual do Figueira em toda a temporada é de 67,8%. Nas três vitórias do Furacão na Série B, eles estiveram em campo. Na primeira derrota, contra o Brasil-RS, Betinho estava suspenso e não jogou. Ele também não estava mais no gramado quando a equipe sofreu o gol da derrota para o Avaí. O tento foi anotado no segundo tempo, o volante saiu no intervalou.

— Os dois, tanto o Betinho quanto o Zé Antônio, são jogadores que vêm jogando com frequência e fazem falta a qualquer equipe. Mas não podemos apenas lamentar. Temos de ter confiança em todos os jogadores do elenco. O Milton sempre frisou que temos um grupo forte, então temos atletas qualificados para substitui-los. Claro que o ritmo de jogo faz diferença. Mas quem está fora, esperando oportunidade, também está preparado — disse o lateral Diego Renan.

Uma esperança ao torcedor: nos dois jogos de toda a temporada em que nenhum deles atuou foram duas vitórias. O Figueirense ganhou do Inter de Lages no Orlando Scarpelli e do Concórdia, no Oeste do Estado, ambas pelo Campeonato Catarinense e quando o time já estava classificado para a final. Outro motivo é que o atleta com mais jogos entre os possíveis substitutos, Pereira, tem alto aproveitamento também. São 78,5% nos 14 jogos em que disputou. Além dele Abuda, Matheus Sales e Patrick podem ser escolhidos por Milton Cruz.

APROVEITAMENTO DO FIGUEIRENSE

O time no ano
28 jogos
17 vitórias
6 empates
5 derrotas
67,8% aproveitamento

Com Zé Antônio
24 jogos
15 vitórias
4 empates
5 derrotas
68% aproveitamento

Com  Betinho
21 jogos
13 vitórias
6 empates
2 derrotas
71,4% aproveitamento

Com os dois
19 jogos
13 vitórias
4 empates
2 derrotas
75,4% aproveitamento

OS POSSÍVEIS SUBSTITUTOS

Abuda
29 anos
8 jogos
5 vitórias
1 empate
2 derrotas
Aproveitamento: 66,6%

Matheus Sales
23 anos
1 jogo
1 derrota
Aproveitamento: 0%

Patrick
20 anos
7 jogos
4 vitórias
2 empates
1 derrota
Aproveitamento: 66,6%

Pereira
21 anos
14 jogos
10 vitórias
3 empates
1 derrota
Aproveitamento: 78,5%

Confira a tabela da Série B do Brasileiro 2018
Leia mais sobre o
Figueirense

 
A Notícia
Busca