Chapecoense busca encontrar o caminho contra o Paraná para voltar a vencer - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Série A07/05/2018 | 06h10Atualizada em 07/05/2018 | 06h10

Chapecoense busca encontrar o caminho contra o Paraná para voltar a vencer

Verdão encara o time paranaense no fechamento da quarta rodada nesta segunda-feira

Chapecoense busca encontrar o caminho contra o Paraná para voltar a vencer Arte DC/Arte DC
Foto: Arte DC / Arte DC
DC Esportes
DC Esportes

Vitória. Este é destino que a Chapecoense ainda não visitou neste Série A do Campeonato Brasileiro. O time está há três jogos seguidos invicto – incluindo a partida contra o Atlético-MG pela Copa do Brasil –, mas foram três empates. O último triunfo verde foi ainda no Catarinense, passado mais de um mês, pela primeira fase. Do Estadual para cá, a equipe de 12 êxitos desviou da rota das vitórias e tenta diante do Paraná, às 20h desta segunda-feira, voltar a festejar ao fim de uma partida na Arena Condá.

Depois do susto provocado pela goleada de 5 a 1 sofrida diante do Atlético-PR, na primeira rodada do Brasileirão, o técnico Gilson Kleina trabalhou para corrigir o caminho, a meta foi fazer que o time não perdesse. Após o empate por 1 a 1 com o Vasco, o Verdão segurou dois 0 a 0 frente a Palmeiras e a Atlético-MG. O sistema defensivo foi fortalecido por não ter sido vazado. Contra os paranistas o treinador busca fazer com a equipe dê um passo adiante. E a passada é para a trilha das vitórias.

Por isso, o indicativo é que o sistema de marcação que deu certo em São Paulo e Belo Horizonte seja preservado. No entanto, o comandante procura alternativas para fazer com que o time seja agressivo também na hora de atacar.

— As propostas contra o Palmeiras e Atlético-MG foram mais defensivas paras características dos atletas que utilizamos de início. Sofremos, mas o time teve consciência e concentração, agressiva na marcação. Precisávamos reequilibrar a equipe. Entendo que contra o Paraná tem que ser inteligente, que não adianta olhar tabela e pontuação. É um time que joga com intensidade forte, exige do adversário. Buscamos equilíbrio e foi a nossa meta na preparação — contou Kleina.

Com a linha de quatro defensores preservada e pelo menos os dois volantes que ajudam na contenção (Amaral e Elicarlos), o treinador tem três posições para mexer, uma vez que Wellington Paulista provavelmente comande o ataque. Uma alternativa que deu certo na fase vitoriosa no Catarinense foi o 4-3-3. Pode ser utilizado um armador no miolo que também tem dois volantes e atacantes e meias pelas laterais do campo.

Esta é a formatação para fazer com que a forma de atacar o adversário seja embasada na velocidade e com a marcação ainda forte, já que os jogadores que estarão pelos flancos podem contribuir com a marcação. A segunda alternativa é de um jogo com mais posse de bola e cadência na construção das jogadas. Para isso, Kleina mantém a dupla de ataque com Arthur Caíke e WP9 e procura o encaixe com dois atletas no meio, entre volantes e meias. Com mais um volante, os laterais Apodi e Bruno Pacheco devem ganhar liberdade para participar mais do momento ofensivo.

Assim como a Chape, o Paraná também não venceu neste Campeonato Brasileiro até agora. O time paranaense perdeu os três jogos que disputou até agora.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE
Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Elicarlos e Canteros (Nadson); Guilherme, Wellington Paulista e Arthur Caíke. Técnico: Gilson Kleina.

PARANÁ
David; Alemão, Jesiel, Cleber Reis e Mansur; Jhonny Lucas, Wesley Dias, Caio Henrique; Carlos Eduardo (Luan), Silvinho e Carlos. Técnico: Rogério Micale.

ARBITRAGEM: Raphael Claus, auxiliado por Alessandro Alvaro Rocha de Matos e Danilo Ricardo Simon Manis (trio de SP).
DATA E HORA: às 20h desta segunda-feira.
LOCAL: Arena Condá, em Chapecó.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense no DC

 
A Notícia
Busca