"Se precisarem de mim, sabem onde estou", diz Benzema sobre seleção da França - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Madri17/04/2018 | 17h37

"Se precisarem de mim, sabem onde estou", diz Benzema sobre seleção da França

AFP
AFP

O atacante Karim Benzema garantiu que não vai fazer nada para tentar convencer o técnico da seleção da França a convocá-lo, afirmando que "se precisarem de mim, sabem onde estou".

"Já tenho 30 anos, dois filhos. Estou tranquilo aqui. Se precisarem de mim, sabem onde estou", afirmou o centro-avante do Real Madrid em entrevista publicada pela revista Vanity Fair nesta terça-feira.

Perguntado sobre o que faria para convencer Didier Deschamps para estar entre os relacionados da seleção francesa, Benzema se limitou a afirmar: "Eu? Agora? Nada".

"Não falo com o técnico há muito tempo. Sem trocar palavras é muito difícil", afirmou.

Benzema não joga com a França desde outubro de 2015, já que Deschamps deixou de chamá-lo após o caso de chantagem de um vídeo de conteúdo sexual ao companheiro de seleção Mathieu Valbuena, um assunto pelo qual o atacante do Real Madrid foi investigado.

O caso chegou a ser comentado pelo primeiro ministro Manuel Valls, que disse que "um grande atleta deve ser exemplar".

"Quando um primeiro ministro fala de você, já não é futebol. Acho que não é preciso misturar futebol e política. No meu caso, é um assunto político", disse Benzema à Vanity Fair, explicando porque não canta o hino francês antes dos jogos.

"Se ouvirmos bem, a Marselhesa convoca para a guerra. Eu não gosto disso", afirmou.

Benzema também se defende da suposta seca de gols na temporada.

"Eu jogo futebol para ajudar meus companheiros sempre e para vencer tudo. Se vejo que posso passar para outro marcar, eu faço. Se acho que eu posso fazer, eu chuto", disse.

"Tanto faz que meu nome esteja sempre nos jornais. Eu jogo para as pessoas que sei que valorizam o que faço no campo. Os que vão ao estádio vaiar, vaiam. Não vou mudá-los", afirmou Benzema, alvo de críticas pela falta de gols.

"Não é que eu não me importe se falam mal de mim, mas eu sou justo. Quando faço um jogo ruim, não preciso ler na imprensa para saber. O que não gosto é que me ataquem quando jogo bem, pelo time, apesar de não marcar", concluiu.

* AFP

 
A Notícia
Busca