"Tive a mesmo lesão que Neymar", conta atacante do Bordeaux à AFP - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Paris01/03/2018 | 14h55

"Tive a mesmo lesão que Neymar", conta atacante do Bordeaux à AFP

AFP
AFP

Ele não disputará a Copa do Mundo, não vale 222 milhões de euros e não tem 180 milhões de seguidores nas redes sociais... mas o atacante do Bordeaux Gaëtan Laborde sofreu "a mesma lesão que Neymar" e precisou de dois meses e meio para voltar a jogar.

"Quando fiquei sabendo da lesão, foi estranho. Quinto metatarso, como eu! No começo, tive uma fissura e depois ela se transformou em fratura. Eu não conseguia mais colocar o pé no chão", contou o jogador de 23 anos à AFP.

"Optamos pela cirurgia. Eu fui operado no dia 24 de outubro. Colocaram um parafuso no osso para consolidar as duas partes. Depois, é etapa por etapa", continuou o atacante, que lesionou o pé esquerdo, enquanto Neymar irá operar o direito.

"Eu pude começar a colocar o pé no chão após duas semanas. É preciso de muito tratamento à base de gelo para acabar com o edema. É preciso que o osso se recalcifique. Depois de três semanas comecei com a bicicleta ergométrica aos poucos e voltei a andar".

"Eu tive sorte, porque o pé reagiu bem. O risco é o pé inchar", explicou o jogador. "Voltei a correr após um mês e meio. A gente vai aumentando a intensidade progressivamente se o pé reagir bem". Os primeiros toques na bola aconteceram pouco antes do Natal, com "passes curtos e pequenas conduções de bola".

- 'Depende de cada jogador' -

Após duas semanas de preparação física, Laborde voltou a jogar no dia 16 de janeiro. "Tive sorte, dois meses e meio de recuperação foi um pouco menos que o normal. Depende de cada jogador".

Mas será que estava 100%? "O pé estava ótimo. Já fisicamente, foi difícil, é por isso que a preparação é muito importante", admite o atacante francês, lembrando que Neymar pretende disputar a Copa do Mundo da Rússia, entre 14 de junho e 15 de julho.

No plano psicológico, "não foi fácil, porque eu nunca tinha sido operado antes, mas o que é legal é que as etapas vão se encadeando uma atrás da outra".

Hoje, Laborde se sente "muito bem", apesar de "algumas pequenas dores" quando está cansado, "o que é normal".

Em relação ao parafuso, "é possível tirar, mas, se você suportar bem, pode continuar com ele. Foi o que eu fiz, não há contra-indicação", concluiu Laborde, que torce para que Neymar "não tenha muita dor" e que possa disputar a Copa da Rússia.

* AFP

 
A Notícia
Busca