Chapecoense vence e está na final  do Catarinense - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Estadual21/03/2018 | 21h29Atualizada em 21/03/2018 | 21h33

Chapecoense vence e está na final  do Catarinense

Verdão fez 2 a 0 no Hercílio Luz e fará sua sexta final em dez anos

Chapecoense vence e está na final  do Catarinense Márcio Cunha./Especial
Elicarlos, autor do primeiro gol, comemora com Osman Foto: Márcio Cunha. / Especial

Um dos finalistas do Catarinense 2018 já está definido. A Chapecoense  venceu o Hercílio Luz por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Arena Condá, foi a 36 pontos e não pode mais ser alcançado pelo Avaí, que é o terceiro colocado. É a sexta final do time do Oeste em dez anos

Agora resta definir o adversário, Figueirense ou Avaí, e o local da final. O time do Oeste iniciou a rodada com três pontos de vantagem sobre Figueirense, que enfrenta o Joinville, na noite desta quarta-feira. E em casa a Chapecoense está com 100% de aproveitamento.

O time de Gilson Kleina começou a partida como tem feito em todos os jogos, tocando bastante a bola, sem pressa. Já o Hercílio Luz, que luta contra o rebaixamento, mesmo fora de casa e contra o líder, buscou atacar.

Mas nenhum dos times conseguiu criar boas chances de gol no início da partida. Na maioria dos lances os setores defensivos levaram vantagem.

Quando o primeiro tempo se encaminhava para um 0 a 0 Bruno Pacheco fez boa jogada pela esquerda, foi até a linha de fundo e cruzou para trás, próximo da marca do pênalti, onde encontrou Elicarlos. O volante bateu de primeira, alto, no canto direito do goleiro Lucas Alves.

No segundo tempo o Hercílio Luz tentou o empate mas não acertava nas finalizações. A Chapecoense continuou no seu ritmo. Canteros, que entrou no segundo tempo, cobrou escanteio e Wellington Paulista cabeceou perto da trave.

Até que, aos 33 minutos, Guilherme foi derrubado na área por Bruninho. Wellington Paulista cobrou e ampliou para 2 a 0.

Com a vantagem no placar o técnico Gilson Kleina tirou Wellington Paulista e colocou Nenén. O meia completou 300 jogos com a camisa da Chapecoense, onde está desde 2009, com exceção de uma temporada em 2010.

Daí foi só administrar o placar e garantir a vaga na final. Nenén, aliás, vai para sua sexta final pela Chapecoense. Em três delas -2011, 2016 e 2017 - ficou com o título. O próximo jogo da Chapecoense é contra o Brusque, domingo, fora de casa.


FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE-2: Jandrei, Eduardo, Rafael Thyere, Nery Bareiro e Bruno Pacheco; Amaral, Elicarlos (Canteros) e Márcio Araújo; Guilherme, Osman (Vinícius) e Wellington Paulista (Nenén). Técnico: Gilson Kleina.

HERCÍLIO LUZ-0: Lucas Alves, Pablo, Sílvio, Cleber e Maurício Tomazi; Gilton, Rudnei, Lucas Mota e Bruninho; Moisés (Maurício Brito) e Tiago Pará (Lucão). Técnico: Nasareno Silva.

Gol: Elicarlos (C), aos 44 minutos do primeiro tempo. Wellington Paulista (C), aos 33 minutos do segundo tempo.

Arbitragem: Fernando Henrique de Medeiros Miranda, auxiliado por Henrique Neu Ribeiro e Luís Gustavo Ferreira de Souza.

Cartões amarelos: Osman e Wellington Paulista (C);Tiago Pará (HL)

Local: Arena Condá, em Chapecó

Público: 6.144

Renda: R$ 92.765,00

 
A Notícia
Busca