Tragédia do Manchester United ainda acompanha sobrevivente - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Manchester05/02/2018 | 17h24

Tragédia do Manchester United ainda acompanha sobrevivente

AFP
AFP

Não existe um dia que Wilf McGuinness não pense nos companheiros de time que perdeu no acidente aéreo de Munique, que dizimou o magnífico time do Manchester United há 60 anos.

O desastre de 6 de fevereiro de 1958 acabou com a vida de oito dos jogadores daquela equipe, treinada por Matt Busby - conhecidos como os "Busby Babes". O time venceu dois campeonatos ingleses seguidos e se colocava na briga para competir com o reinado do Real Madrid na Europa.

O clube se recuperou como pôde e acabou se tornando o primeiro time inglês a levantar a Copa da Europa, em 1968. O primeiro britânico a alcançar o feito foi o escocês Celtic, um ano antes.

A tragédia continua na mente dos torcedores e no mundo do futebol. No estádio de Old Trafford existe um relógio com os ponteiros parados apontando 15:04h, hora do acidente, para lembrar o drama.

McGuinness, 80 anos, não embarcou no fatídico avião por conta de uma lesão.

O time retornava de viagem desde Belgrado, após disputa da semifinal da Copa da Europa, e fazia escala na cidade alemã. A aeronave bateu quando tentava decolar durante condições meteorológicas infernais, matando 23 pessoas.

"Você pensa nos que se foram, não que você escapou ou que não viajava", diz McGuinness, que estava no hospital se recuperando de operação no joelho quando ficou sabendo da tragédia.

"Penso em como eles eram bons, nunca vou esquecer. É o mais importante que fica em mim. Eram muito especiais e tão jovens quando morreram... Inacreditável", acrescentou.

Para McGuinness, cuja carreira se encerrou prematuramente aos 22 anos, dois anos depois do acidente, os dois melhores jogadores do time eram os meias Eddie Colman e Duncan Edwards.

"Eu não chegava a seus pés", admitiu McGuinness à AFP em sua casa em Sale, perto de Manchester.

Os pais de Colman não tinham telefone e ficaram sabendo do acidente por um amigo do jogador, Steve Fleet, goleiro do Manchester City que foi à loja da família para explicar o ocorrido. Edwards sobreviveu inicialmente, mas morreu dois dias depois no hospital.

- O melhor Man United -

"Teriam sido o melhor United da história. Na verdade, eram. Teriam conquistado tudo", garantiu McGuinness, que compareceu a todos os funerais de seus companheiros.

"Mas o acidente aconteceu, oito morreram e dois não jogaram mais. Foram tempos muitos difíceis, até hoje", acrescentou com lágrimas nos olhos.

Liderado por um dos sobreviventes, Bobby Charlton, com o talento do jovem George Best e sob comando do mesmo técnico que viajava no avião, Matt Busby, o United acabou conquistando a Copa da Europa de 1968, dez anos após o acidente. Na final, os Diabos Vermelhos derrotaram o Benfica de Eusébio no estádio de Wembley, em Londres.

McGuinness fazia parte da comissão técnica da equipe campeã: "pensamos nos jogadores que morreram. Falamos 'isto é para eles, não para nós. Para eles'", lembra McGuinness, que aos 31 anos substituiu o lendário Busby no comando do time.

* AFP

 
A Notícia
Busca