Do limão à limonada: Kleina ganha novas opções com rotatividade - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Estadual12/02/2018 | 07h00Atualizada em 12/02/2018 | 13h20

Do limão à limonada: Kleina ganha novas opções com rotatividade

Técnico da Chapecoense tem várias opções para ataque no clássico contra o Figueirense

Do limão à limonada: Kleina ganha novas opções com rotatividade Márcio Cunha/Especial
Foto: Márcio Cunha / Especial

 Apesar do desgaste de ter atuado nos últimos oito dias, com quatro formações diferentes, o técnico Gilson Kleina destacou como positiva a possibilidade de testar novos jogadores que poderão ser importantes na sequência do Campeonato Catarinense.

- Quando a gente começa a usar todo o elenco, a gente começa a analisar jogadores a cada jogo, então é importante porque a oportunidade está sendo dada, essa rotatividade de jogadores nestes últimos jogos foi bastante grande e jogadores que sabem que a gente vai poder confiar e vai dar uma sequência, que vai ter um ritmo bom, então você começa a ter um elenco, o que oscila no campeonato de pontos corridos é o quesito técnico, então quando você perde alguns jogadores ou o desempenho não está o ideal você sabe que vai poder contar com alguns jogadores, e é importante a sequência de jogos – afirmou

Mesmo tendo sido desclassificado prematuramente na Libertadores, diante do Nacional, nessa sequência de jogos, e da derrota para o Hercílio Luz, com o time reserva, a Chapecoense se manteve colada no Figueirense, com apenas um ponto atrás, após as vitórias diante do Tubarão e Brusque.

Kleina disse que, contra o Brusque, o time soube neutralizar as jogadas do adversário, teve jogadas pelos lados, inclusive nos gols, e o atacante Wellington Paulista voltou a marcar. O treinador brincou com o atacante dizendo que vai levar uma câmera de televisão em todos os jogos pois o atacante só marca em jogos televisionados.

- Esse resultado nos deixa em condições de igualdade, vamos enfrentar a melhor equipe do campeonato que é o Figueirense, que a Chape possa ir lá em Florianópolis ser inteligente, é um jogo difícil mas que nós temos totais condições de trazer um resultado importante para Chapecó- destacou.

Gilson Kleina disse que a preparação para este jogo deve ser diferenciada mas que ainda não sabe o time que vai levar a campo, principalmente no setor ofensivo, onde tem várias opções.

- A preparação tem que ser em cima de um clássico, ciente de que ele vale a liderança, a gente vai conversar com os jogadores, hoje é difícil você cravar um time ideal, tem jogadores que estão se destacando e a gente tem que manter a motivação de todos esses jogadores. A gente hoje está bem servido em alguns setores, com jogadores que estão voltando de lesão que é o caso do Arthur, que é um jogador que precisa ter uma sequência, tem o Guilherme que pegou uma virose, tem o Bruno que vem crescendo a cada jogo, um garoto espetacular, o Osman voltando, tendo o Wellington, enfim tem opções em setores importantes, opções defensivas, meio de campo aguerrido, importante agora de que forma vai montar não descaracterizar o que vem fazendo- finalizou.

Nesta segunda-feira quem não jogou contra o Brusque treina às 10h no CT da Àgua Amarela e os demais fazem um trabalho regenerativo. Na terça-feira o treinador faz um trabalho de posicionamento e o time viaja para a capital, onde enfrenta o Figueirense, na quarta-feira, às 21h45.

Confira a tabela do Catarinense 2018
Leia mais notícias sobre o
Catarinense 2018

 
A Notícia
Busca