Chapecoense perde para Nacional uruguaio e é eliminada da Libertadores - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Montevidéu08/02/2018 | 00h24

Chapecoense perde para Nacional uruguaio e é eliminada da Libertadores

AFP
AFP

A Chapecoense foi derrotada por 1 a 0 pelo Nacional uruguaio, nesta quarta-feira na partida de volta da segunda fase preliminar da Copa Libertadores, em Montevidéu, e foi eliminada da competição.

A Chape, que já havia sido derrotada pelo mesmo placar no jogo de ida, na semana passada na Arena Condá, precisava dar o troco no estádio Gran Parque Central da capital uruguaia, mas viu o Nacional abrir o placar logo aos 6 minutos de jogo com Santiago Romero.

Com mais uma vitória, o Nacional se classificou para a terceira e última fase preliminar da Libertadores, na qual enfrentará o Banfield, da Argentina, que eliminou o Independiente del Valle, do Equador.

A partida desta quarta-feira estava envolvida em polêmica, após a abertura de uma investigação pela Conmebol para apurar gestos ofensivos da torcida do Nacional no jogo de ida, em Chapecó, onde câmeras de televisão flagraram dois torcedores imitando um avião caindo, em alusão ao acidente que deixou 71 mortos e dizimou o elenco da Chape, em 2016.

Apesar dos pedidos de desculpas apresentados pelo Nacional, a Chape pediu à Conmebol que o clube uruguaio fosse eliminado da Libertadores pela atitude ofensiva de sua torcida. O processo segue aberto.

- Chape inofensiva -

Em campo, como era de se esperar, as duas equipes protagonizaram um jogo duro, de forte marcação, como já havia sido na ida, quando três jogadores foram expulsos, dois pelo lado catarinense.

Jogando em casa, o Nacional se mostrou mais perigoso desde o início da partida e não demorou para abrir o placar.

Aos 5 minutos, uma boa trama no ataque terminou com Fernández fazendo o pivô da marca do pênalti e ajeitando para Romero chutar. A bola desviou em Douglas e enganou Jandrei, que não teve como defender.

Romero já havia sido o algoz da Chape na partida de ida, na qual anotou o gol da vitória uruguaia.

O Verdão acusou o golpe e demorou para fazer frente ao Nacional, que perdeu outras duas ótimas chances de ampliar a vantagem no primeiro tempo, com Viúdez (18 min) e Fernández (32).

No segundo tempo, a Chape continuou apresentando pouquíssima criatividade ofensiva. A única válvula de escape dos catarinenses era o lateral-direito Apodi, que corria a faixa de campo toda incansavelmente para segurar a barra atrás e apoiar os companheiros na frente.

Mesmo precisando de dois gols para ficar com a vaga na próxima fase, a Chape mal assustou o goleiro uruguaio Conde, que viu Apodi chutar para fora da entrada da área aos 35 minutos, no lance de maior perigo dos brasileiros.

A derrota, além de sacramentar a eliminação precoce da Chape na Liberadores, foi a terceira seguida dos comandados do técnico Gilson Kleina, somando a competição continental e o estadual catarinense.

* AFP

A Notícia
Busca