Moscou teme falta de quartos durante a Copa do Mundo - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Moscou17/11/2017 | 14h17

Moscou teme falta de quartos durante a Copa do Mundo

AFP
AFP

Moscou poderia sofrer com a falta de quartos de hotel durante a Copa do Mundo-2018, que será sediada na Rússia, alertou nesta sexta-feira um especialista local, que acabou desmentido pelos organizadores.

"Tememos que o número de quartos disponíveis esteja esgotado em final de dezembro", declarou à agência Ria-Novosti Alexei Tikhonov, responsável do setor hoteleiro do departamento de Esporte e Turismo em Moscou.

A Copa do Mundo será organizada em onze cidades diferentes na Rússia, mas Moscou, que conta com dois estádios que sediarão jogos, deverá receber um grande fluxo de turistas durante a competição.

A partida de abertura e a final serão disputadas no estádio Lujniki (81.000 lugares), inaugurado na semana passada após quatro anos de obras.

O estádio do Spartak de Moscou, a Otrkytie Arena (45.000 lugares), é o outro palco da capital.

O comitê organizador da Copa-2018 confirmou que cerca de 60% dos quartos de hotel em Moscou já estão reservados durante a Copa do Mundo, mas julgou os temores de Alexei Tikhonov infundados, porque "o número de quartos de hotel em Moscou corresponde às normas da Fifa".

Segundo a Fifa, 160.000 ingressos para as partidas que serão disputadas em Moscou já foram vendidas e os hotéis moscovitas podem hospedar 177.000 pessoas.

"Não há motivos para pensar que faltarão quartas de hotel em Moscou durante a Copa", afirmou o comitê organizador em comunicado enviado à AFP.

Os organizadores do Mundial também minimizaram as estimativas do comparador de voos Aviasales, que percebeu um aumento no preço dos bilhetes de avião entre as cidades-sede durante a Copa.

Segundo o site da empresa, o aumento chegaria a até 40% em voos entre São Petersburgo e Moscou nos dias anteriores à final.

"Ao invés de pegar o avião, os torcedores poderão sempre pegar nossos trens gratuitos", declarou à AFP o porta-voz do comitê russo de transportes, Ivan Tito.

Mais de 500 trens que unem as cidades-sede da Copa do Mundo serão colocados à disposição gratuitamente para os torcedores que apresentarem ingressos para os jogos.

* AFP

A Notícia
Busca