Grêmio conquista tri da Libertadores e mira Mundial de Clubes - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Lanus30/11/2017 | 00h42

Grêmio conquista tri da Libertadores e mira Mundial de Clubes

AFP
AFP

O Grêmio pintou a América do Sul de azul, preto e branco, nesta quarta-feira, depois de vencer o Lanús por 2 a 1 na partida de volta da final e conquistar o tricampeonato da Copa Libertadores (1983, 1995 e 2017).

Depois de vencer o jogo de ida em Porto Alegre por 1 a 0, o Imortal se impôs na Argentina para voltar com a taça mais cobiçada do continente. Fernandinho abriu o placar, aos 27 minutos do primeiro tempo, e Luan fez o segundo com um golaço, aos 41.

Na segunda etapa, José Sand diminuiu aos 25 mas não estragou a festa gremista fora de casa. "São um bom time. Nós cometemos erros, mas além da dor estou orgulhoso do Lanús", declarou o capitão Maximiliano Velázquez.

Com a vitória, Renato Gaúcho se tornou o primeiro brasileiro a levantar o troféu como jogador e treinador. O comandante participou da campanha do título inédito, em 1983, e agora liderou os jogadores ao terceiro troféu da equipe.

"É um momento maravilhoso. Os jogadores são os verdadeiros guerreiros", disse o treinador antes de deixar o gramado, extremamente emocionado.

Além disso, a equipe gaúcha se igualou a Santos e São Paulo como maiores vencedores brasileiros da competição, com três conquistas cada um. Um recorde do futebol do país.

A cerimônia de premiação celebrou a boa campanha do Grêmio na Libertadores. O jovem Arthur ganhou o prêmio de melhor jogador da partida, Luan foi eleito o melhor atleta da competição e Renato Gaúcho o melhor técnico.

"Estou muito feliz. O prêmio pessoal é muito legal, mas o mais importante é o título. Fizemos um grande primeiro tempo e fomos organizados no segundo", disse Arthur.

A taça ainda classificou o Grêmio para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, entre os dias 6 e 16 de dezembro, em Abu Dhabi, onde o duelo mais esperado pode acontecer na final contra o poderoso Real Madrid.

- Show gremista -

Antes da bola rolar, os times prestaram homenagem ao aniversário de um ano da tragédia aérea da Chapecoense, realizando um minuto de silêncio. Na madrugada do dia 29 de novembro de 2016, o avião que levava a equipe catarinense para a final da Copa Sul-americana caiu nos arredores da cidade de Medellín e matou 71 pessoas.

Passado o momento de emoção, a bola rolou e o Grêmio não se intimidou com a pressão do estádio La Fortaleza, com mais de 40 mil torcedores, e pressionou a saída de bola dos argentinos. O time anfitrião tinha como pilar o toque de bola, que incluía até o goleiro Andrada.

Até os 20 minutos, os gaúchos dominaram e criaram boas jogadas de ataquem. A equipe povoou o campo ofensivo e não deixou os argentinos trocarem passes com tranquilidade. Em erro do Lanús em ida ao ataque, Fernandinho roubou a bola no meio de campo e carregou sozinho até entrar na área para chutar forte e abrir o placar, aos 27 do primeiro tempo.

Ainda antes do intervalo, mais uma jogada em velocidade se converteu em gol do Imortal. E que golaço! Luan recebeu passe de Jaílson e saiu no mano a mano para limpar a zaga e dar leve toque de cobertura, ampliando a vantagem tricolor aos 41 minutos.

Com o gol, Luan chegou a 8 gols na competição e empatou com José Sand na artilharia. Mas ainda restavam 45 minutos para a confirmação do título, contra um time que fez história ao reverter situação idêntica na semifinal contra o River Plate.

- Susto e redenção -

Na volta do intervalo, os argentinos não conseguiram encaixar o jogo diante de um Grêmio que se sentia em casa em La Fortaleza. A primeira chegada dos anfitriões ao ataque foi apenas aos 11 minutos, mas sem muito perigo.

Já os visitantes tentavam manter o ritmo do primeiro tempo, mas com a vantagem acabaram esperando mais o time argentino para se aproveitar dos espaços cedidos. O adversários precisavam de três gols para levar o jogo para a prorrogação e aos 25 minutos contaram com ajudinha de Jaílson.

O volante derrubou Lautaro Acosta dentro da área e o arbitro marcou o pênalti. O veterano Sand foi para a bola e deslocou o goleiro Marcelo Grohe, diminuindo o prejuízo e voltando a se isolar na artilharia com 9 gols na competição.

O time da casa cresceu, mas ainda parou no bom esquema defensivo dos gaúchos. No entanto a tranquilidade dos visitantes diminuiu aos 37 minutos, quando Ramiro foi expulso. O meia recebeu amarelo e deu um tapa no braço do árbitro, questionando sua autoridade e indo para o chuveiro mais cedo com o vermelho.

Emulando a famosa catimba argentina, o Grêmio começou a cozinhar o jogo. Mesmo com um jogador a menos, os brasileiros não se assustaram e até tiveram a chance de matar o jogo em mais um toque por cobertura de Luan, aos 44. Mas o camisa 7 acabou errando o alvo por pouco.

Os cinco minutos de acréscimo eram o último empecilho que separava o Grêmio do tricampeonato. Com um Lanús desesperado e chovendo bolas na área, o Imortal foi gigante para segurar a pressão e conquistar a América mais uma vez.

* AFP

A Notícia
Busca