Última batalha das eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo 2018 - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Montevidéu09/10/2017 | 10h07

Última batalha das eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo 2018

AFP
AFP

Inferno ou paraíso. O sinuoso caminho para a Copa do Mundo da Rússia-2018 termina nesta terça-feira para a América do Sul, com a Argentina de Lionel Messi perto do colapso, Colômbia e Chile vivendo pesadelo e Peru e Paraguai em busca da glória improvável.

Com o Brasil (38 pontos) classificado há quatro rodadas e Uruguai (28) precisando apenas de um empate para selar a vaga, a guerra para as duas últimas passagens diretas para a Rússia e o bilhete de repescagem serão disputadas por Chile (26,+2 saldo de gols), Colômbia (26,+2), Peru (25,+1), Argentina (25,+1) e Paraguai (24,-5).

A 18ª e última rodada da eliminatória ficou dramática por conta dos resultados da última quinta-feira: Argentina e Peru empataram sem gols em Buenos Aires, Paraguai surpreendeu vencendo a Colômbia fora de casa e por 2 a 1, e o Chile ressuscitou em Santiago ao vencer o Equador por 2 a 1.

Por isso, todos os jogos terão emoção. Em Quito, Messi precisa mostrar porque foi o melhor do mundo em cinco temporadas para salvar a alviceleste. Em Lima, o Peru quer voltar ao Mundial depois de 36 anos e encara a Colômbia, que chegou a estar momentaneamente classificada, mas cedeu a virada em Barranquilla para o Paraguai.

Em São Paulo, Neymar e companhia vão decidir o futuro do Chile. Os chilenos querem tirar a invencibilidade de Tite nas eliminatórias para confirmar a vaga no Mundial, enquanto o Paraguai recebe a Venezuela em casa para vencer e torcer pelo tropeço dos rivais.

O Uruguai, por outro lado, recebe a eliminada Bolívia em Montevidéu. Com Luis Suárez e Edinson Cavani, a Celeste esta a um ponto de garantir a classificação para a 13ª Copa de sua história.

- A hora de Messi -

A Argentina ainda está viva, mas a pulsação é fraca e para evitar o colapso precisa encontra ar na altitude de 2.800 metros de Quito.

Para evitar ficar de fora da Copa do Mundo pela primeira vez desde 1970, a Argentina precisa absorver a pressão de estar fora da zona de classificação e quebrar a carência alarmante de gols.

A equipe está por um fio e conta com Lionel Messi para fazer mágica e conduzir o time à vitória no estádio Olímpico Atahualpa. No entanto, os argentinos não vencem no local desde agosto de 2001, nas eliminatórias para a Copa de 2002.

Para conquistar a vaga direta, a Argentina precisa vencer o Equador e esperar por um empate no jogo de Lima. Caso Colômbia ou Peru saiam vencedores do confronto, precisa torcer para o Chile não vencer o Brasil.

Empatar ou perder deixaria a situação muito complicada, já que não dependeria apenas de si. Muitos resultados negativos dos adversários seriam necessários para resgatar um mau resultado na capital Equatoriana.

A Argentina não pode falhar e conta com a última bala para se garantir: como sempre, Lionel Messi precisa decidir ou pode ficar de fora do Mundial.

- Tática e matemáticas -

Antes de pensar em contas Chile, Colômbia, Peru, Argentina e Paraguai precisam vencer para pensarem na vaga no Mundial. Empatar ou perder é assumir o risco de depender do resultado de outro time para conseguirem a vaga.

O Chile terminou a última rodada em posição favorável na tabela: saltou da sexta para a terceira colocação e depende apenas de si para avançar. Mas os bicampeões da Copa América terão que buscar a classificação fora de casa contra o imbatível Brasil de Tite. A canarinha nunca perdeu jogando de mandante nas eliminatórias e o meia Arturo Vidal é desfalque por suspensão.

A vitoria da "Roja" no Allianz Parque do Palmeiras seria garantia de classificação direta. Empatar poderia classificar ou garantir a repescagem, mas isso dependeria do resultados dos outros jogos.

Em Lima, a Colômbia quer se a pedra do sapato do Peru, que não vê a hora de voltar a disputar a Copa do Mundo desde 1982.

O time de James Rodríguez e Radamel Falcao estavam na terceira posição, mas arriscaram a classificação ao perder de virada em casa para o Paraguai. O Peru arrancou um ponto da Argentina em "La Bombonera" e chegaram aos 25 pontos na quinta posição, empatada em pontos com o time de Messi, que está fora da zona de classificação.

A Colômbia garante a vaga se vencer, ou mesmo se empatar, mas para isso precisa contar com derrota de Chile ou Argentina e que o Paraguai não goleie a Venezuela por mais de sete gols.

Peru, por outro lado, garante a vaga se vencer e se o Chile não vencer o Brasil. Em caso de vitória chilena, o Peru precisa torcer para a Argentina não vencer por diferença maior de três gols. Em caso de empate ou derrota, fica na mão do resultado dos adversários.

O Paraguai só volta ao Mundial de maneira direta de vencer a Venezuela, se o Chile perder e se a Argentina não vencer em Quito. Para repescagem, precisa de apenas um destes resultados.

* AFP

A Notícia
Busca