Silverstone ameaça não sediar GP se Liberty Media não rever contrato - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Silverstone11/07/2017 | 13h17

Silverstone ameaça não sediar GP se Liberty Media não rever contrato

AFP
AFP

Os proprietários do famoso circuito de Silverstone anunciaram, nesta terça-feira, que não vão sediar mais o Grande Prêmio da Grã Bretanha a partir de 2019, caso a atual responsável da Fórmula 1, a empresa americana Liberty Media, não melhore o atual contrato.

O 'British Racing Drivers Club' (BRDC), dono do traçado onde em 1950 foi disputada a primeira corrida da categoria, indicou que pretende executar a cláusula de ruptura do contrato, vigente até 2027.

Se o cenário se confirmar, a corrida em Silverstone não vai ser disputada a partir de 2019. A alternativa pedida pelos donos é um novo acordo com o grupo americano Liberty Media, já que o vínculo atual foi assinado em 2010, quando a nova proprietária da Fórmula 1 ainda não controlava a categoria.

Os gastos da organização da BRDC para preparar o GP começaram em 12 milhões de libras em 2010, estão atualmente em 17 milhões em 2017 e chegarão a 26 milhões em 2026. Os valores sobem 5% a cada ano.

"Tomamos esta decisão porque, para nós, não é financeiramente rentável organizar o GP da Grã Bretanha com as atuais condições de contrato", argumentou o presidente da BRDC, John Grant.

"Em 2015, tivemos prejuízo de 2,8 milhões de libras e de 4,8 mi, em 2016. Para este ano esperamos cifras similares", estimou o mandatário.

* AFP

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros