Sem futebol e sem gols: Figueirense e Oeste empatam no Scarpelli - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Série B18/07/2017 | 21h10Atualizada em 18/07/2017 | 21h29

Sem futebol e sem gols: Figueirense e Oeste empatam no Scarpelli

Equipe alvinegra tem atuação fraca, visitantes travam a partida e jogo da 15ª rodada termina com o placar em branco e Figueira ainda no Z-4

Sem futebol e sem gols: Figueirense e Oeste empatam no Scarpelli Leo Munhoz/Agencia RBS
Figueirense empata em casa e continua na zona de rebaixamento Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS
DC Esportes
DC Esportes

Bate o queixo e esfrega as mãos por causa da gelada. O Figueirense congela na zona de rebaixamento, está há sete rodadas seguidas nela. Na noite desta terça-feira, desperdiçou a chance de respirar outros ares – e algum alívio –, mas sofreu com empate com o Oeste. Os 2.679 torcedores no Orlando Scarpelli viram um 0 a 0 gelado em jogo da 15ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O Furacão volta a campo na sexta-feira, às 19h15min, fora de casa. No Independência, a equipe vai enfrentar o América-MG. Já o Oeste vai encarar o Juventude, na Arena Barueri, às 19h de sábado.

Dever de propor o jogo assumido, o Figueirense não conseguia fazer muito além disso por causa da retranca do Oeste. O time do interior paulista entrou no campo disposto a travar os mandantes. As oportunidades alvinegras foram de fora da área. Aos 16 e aos 19, Índio e Patrick, respectivamente, chutaram para o goleiro Rodolfo defender com firmeza. Depois disso, os visitantes sequer permitiam ao Figueirense arriscar de longe. Então, aos 44, Robinho arrastou a bola para dentro da área e bateu fraco. O arqueiro ainda defendeu em dois tempos. O primeiro tempo terminou sem gols e sem futebol.

Mudar era necessário, e o técnico Marcelo Cabo gastou duas substituições na volta do intervalo. Entraram Renan Mota e Zé Antônio nas vagas de Patrick e Walterson. Foi a tentativa de fazer com que o Figueirense tivesse domínio no meio e criação, deficiência aparente da etapa anterior. Porém, a primeira alternativa de fazer a rede balançar foi em cobrança de falta. Zé Antônio tentou a pancada de longe, aos 11. Passou ao lado da trave. Não passou disso.

Então, aos 18 minutos, o Figueira queimou a última alteração, com a entrada de Luidy no posto que estava com Índio. Foi do recém-chegado na partida a arrancada pelo lado direito que terminou com cruzamento rasteiro. Rodolfo foi mais rápido e pegou antes que a redonda aparecesse para Henan. O Figueirense cresceu de produção e começou a – enfim – agredir mais os visitantes. Porém, não conseguia. E por muito pouco não perdeu a partida. Aos 38, Mazinho perdeu chance diante do goleiro Saulo. Chutou errado.

O Figueirense ainda tentou, na pressão, o tento do triunfo no finzinho. Tentou quebrar o gelo de um empate que sequer foi morno. 

FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE - 0
Saulo; Dudu Vieira, Ferreira, Marquinhos E Julinho; Matheus Pereira, Patrick (Renan Mota) e Robinho; Índio (Luidy), Walterson (Zé Antônio) e Henan. Técnico: Marcelo Cabo.

OESTE - 0
Rodolfo; Willian Cordeiro, Joilson, Leandro Amaro e Velicka; Lidio, Betinho e Mazinho; Wilson Matias (Jheimy), Danielzinho (Henrique) e Gabriel Vasconcelos (Kauê). Técnico: Roberto Cavalo

CARTÕES AMARELOS: Walterson (F). Joílson e Lídio (O)

ARBITRAGEM: Renan Roberto de Souza, auxiliado por Luís Filipe Gonçalves Correa e Márcio Freire Lopes (trio de PB).

BORDERÔ: 2.679 torcedores, para uma renda de R$ 54.989,00

LOCAL: Orlando Scarpelli, em Florianópolis

Leia mais notícias sobre o Figueirense 
Acesse a tabela de classificação da Série B do Brasileirão


A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros