Criciúma empata com o Paysandu e perde chance de colar no G-4 - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Série B11/07/2017 | 21h16Atualizada em 11/07/2017 | 21h32

Criciúma empata com o Paysandu e perde chance de colar no G-4

Equipe tricolor sai atrás no placar, demonstra poder de reação, chega ao empate e força até os acréscimos para tentar o triunfo no Heriberto Hülse

Criciúma empata com o Paysandu e perde chance de colar no G-4 CAIO MARCELO/Especial
Em jogo disputado, Tigre pressiona, mas não consegue a vitória em casa Foto: CAIO MARCELO / Especial

A sequência de jogos sem perder continua para o Criciúma, mas faltou a vitória dos donos do Heriberto Hülse na noite desta terça-feira. Depois de sair atrás no placar e buscar o empate o Tigre ficou no 1 a 1 contra o Paysandu. Com um ponto conquistado, o Carvoeiro ainda segue a caminhada, porém perde chance de colar no G-4, sem perder há oito rodadas. O Papão abriu o placar, com Bérgson, e Diego Giaretta empatou para deixar a equipe tricolor na 13ª colocação na Série B do Campeonato Brasileiro. 

O próximo adversário no caminho tricolor é o Goiás. O Tigre segue no Heriberto Hülse para o duelo das 21h30min de sexta-feira. Também pela 14ª rodada da Série B, o Paysandu vai encarar o Vila Nova. O jogo no Serra Dourada está marcado para as 16h30min de sábado.

O Tigre tentou a primeira cedo, aos dois minutos. A zaga conseguiu afastar o bom cruzamento de Barreto. Disposto a se defender e a jogar no erro do Criciúma, o Paysandu estava fechado e o primeiro tempo foi de pouca emoção. O zagueiro Gualberto, que passou pelo Heriberto Hülse em 2014 — sem deixar saudade — pediu calma ao time na saída de bola, e assim foi. Aos 15, Wellington Junior ganhou dentro da área de Luiz e cruzou com perigo. Não tina ninguém para completar. Arqueiro do Bicolor, Emerson também não teve muito trabalho. O Carvoeiro tentou em jogadas pela direita, mas não levou perigo. 

Com menos de um minuto do segundo tempo, Alisson Farias driblou três dentro da área, mas a zaga afastou. O lance levantou a torcida, que aplaudiu. O Criciúma voltou do intervalo com mais velocidade, apertava a saída de bola. O Bicolor insistia no cruzamento. Foi quando Fernando Lombardi ajeitou para Bergson, que mandou de cabeça para a rede, aos seis minutos. Era a abertura do placar.

O Criciúma levou um baque com o gol e demorou até se recuperar. Quando voltou a pressionar, os mais de 4 mil torcedores foram junto — o maior público do estádio nesta Série B. O Tigre tentava pelo alto e colocou Emerson trabalhar, até que os 31, não deu para o goleiro do Papão. Diego Giaretta desviou com as costas para empatar o jogo e explodir o Majestoso. Aos 40, Silvinho tentou também de cabeça, mas a bola passou tirando tinta da trave esquerda. Foram 10 minutos de acréscimos, em decorrência da cera dos visitantes, mas o placar não mexeu mais.

FICHA TÉCNICA

CRICIÚMA - 
Luiz; Diogo Mateus, Raphael Silva, Edson Borges e Diego Giaretta; Jonatan Lima (Jocinei), Barreto e Douglas Moreira (Alex Marinhão); Alisson Farias, Lucão e Silvinho. Técnico: Luiz Carlos Winck

PAYSANDU - 
Emerson (Marcão); Ayrton, Fernando Lombardi, Gualberto e Peri; Augusto Recife, Renato Augusto e Jhonnatan; Magno (Daniel Amorim), Bérgson e Welinton Junior (Fábio Matos). Técnico: Marquinhos Santos

GOL:  Diego Giaretta, aos 31 do segundo tempo (C). Bérgson, aos 6 do segundo tempo (P).

CARTÕES AMARELOS: Barreto, Diego Mateus e Raphael Silva (C). Bérgson, Emerson e Peri (P). 

ARBITRAGEM: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral, auxiliado por Alberto Poletto Masseira e Gustavo Rodrigues de Oliveira (trio de SP)

BORDERÔ: 4.012 torcedores, para a renda de R$ 84.030,00

LOCAL: Heriberto Hülse, em Criciúma. 

Leia mais informações sobre o Criciúma
Acesse a tabela da Série B

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros