Bolt e a tranquilidade a caminho de Londres - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Mônaco19/07/2017 | 15h03

Bolt e a tranquilidade a caminho de Londres

AFP
AFP

Usain Bolt vai se despedir da Liga Diamante, disputada em Monaco, mas manteve a calma para o Mundial de Londres, disputado entre os dias 4 e 13 de agosto: o homem mais veloz do mundo garantiu que está preparado para o último grande desafio da carreira.

Mais uma vez, o oito vezes campeão olímpico afirmou que vai disputar o revezamento 4x100 metros, mas vai abdicar da prova dos 200 metros.

"Minha temporada foi delicada. Perdi meu melhor amigo Germaine Mason (morto em acidente de moto)", explicou o "Raio".

Foi a primeira defesa de Bolt desde os tempos ruins em Monaco e em Ostrava. O jamaicano fechou os 100 metros em 10.03 e 10.06 segundos nos torneios em junho, respectivamente.

"Me sinto muito melhor do que em junho. Depois de Ostrava, treinei as últimas duas semanas na Alemanha. Trabalhamos bem com meu treinador (Glen Mills) e isso me possibilitou realizar coisas interessantes. O tempo é bom em Monaco. Se for assim na sexta-feira, posso estar na minha melhor forma", afirmou Bolt.

Bolt indicou que um cronômetro perto dos 9 segundos e 9 centésimos na corrida, no estádio Louis II, seria um bom indício na preparação para Londres.

"Vi o doutor Müller-Wolfarth em Munique para reforçar minhas costas. Minhas costas são peça fundamental. Tenho um grande time ao meu redor, um treinador e um médico que eu confio completamente. É o que me permite ter confiança e tranquilidade", acrescentou o velocista.

- Mundial a ser vencido -

"Não tenho dúvidas. Sempre confiei em mim. Vou para o Mundial com a ideia de vencer", insistiu o lendário atleta.

A vitória está no seu DNA. Desde 2008, Bolt não perdeu nenhuma disputa nos grandes eventos do atletismo, Mundiais e Olimpíadas.

O atleta só sofreu duas decepções: em 2011, foi eliminado da final do Mundial de Daegu por queimar a largada, e em janeiro de 2017, quando Bolt perdeu uma medalha de ouro olímpica em Pequim 2008 depois do companheiro Nesta Carter ser pego no exame antidoping.

O Raio não vai participar de um dos duelos mais esperados de Londres 2017, contra o sul-africano Wayne Van Niekerk, nos 200 metros livres. Wayne é um dos candidatos a assumir o papel de grande estrela depois de Bolt deixar o circuito.

"Não quis evitá-lo. Nunca disse não para um desafio. Ele é jovem e está em plena forma. Nossas carreiras não coincidiram, simplesmente", sorriu Bolt.

Mas para tudo existe um final: "consegui tudo que queria. Isso me lembra o que Michael Johnson disse, quando me surpreendi com ele deixando em plena forma. Ele me disse 'consegui o que queria'. É o mesmo que acontece comigo, vários anos depois".

* AFP

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros