Aos 19 anos, Zé Carlos será o responsável por defender a meta do Metrô diante do São Bernardo - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Série D14/07/2017 | 14h54Atualizada em 14/07/2017 | 14h54

Aos 19 anos, Zé Carlos será o responsável por defender a meta do Metrô diante do São Bernardo

Atleta é o mais novo goleiro da história do Metropolitano a começar uma partida como titular

Aos 19 anos, Zé Carlos será o responsável por defender a meta do Metrô diante do São Bernardo Raphael Machado/Divulgação
Foto: Raphael Machado / Divulgação

Eram cravados 30 minutos do segundo tempo quando o torcedor do Metropolitano gelou. Com sua camisa amarelada, Johny ficou de frente para o goleiro Igor Koehler e tentou fazer um drible que o deixaria de frente para a meta sem absolutamente nada além de uns metros quadrados de grama pelo caminho. Poderia ser o segundo gol do São Bernardo-SP na partida de ida do primeiro mata-mata da Série D do Brasileiro e que complicaria muito a vida dos blumenauenses para o jogo de volta.

Poderia.

Com um leve toque com a perna direita, porém, o camisa 1 do Verdão derrubou o centroavante paulista. Na arquibancada, o torcedor lamentava uma provável expulsão, à beira do gramado o técnico Isaque Pereira lamuriava um possível pênalti e todos aguardavam a decisão do árbitro: falta e cartão amarelo – o terceiro de Igor Koehler.

Menos mal.

Mas enquanto toda essa história se passava Zé Carlos – um jovem muchacho de Botuverá – recebia um presente aguardado por 19 anos: a chance de estrear como profissional em uma partida de futebol. Não naquele momento, é claro, mas sete dias depois – também conhecido como este sábado –, quando as duas equipes voltam a se enfrentar por uma vaga nas oitavas de final.

Dizer que a oportunidade caiu como uma luva nas mãos do guarda-meta, embora seja um gracejo condenável neste texto, é um resumo da chance que o goleiro nascido ao lado das grutas terá com a camisa do Metropolitano. E engana-se quem pensa que há nervosismo ou grandes níveis de ansiedade para o garoto que antes ostentava apenas a camisa 12 no dorso e que agora pompeará a 1. Número que tem significado e contexto em uma partida decisiva como a que o clube terá.

– Estou mais motivado do que nervoso. Não penso só em pressão, senão isso sobe à cabeça – garante Zé Carlos.

Basta conversar cinco minutos com o preparador do arqueiro, o sábio Nair Coral, no auge de seus 70 anos, para entender de onde vem tanta tranquilidade. Sempre com seu bigode protuberante e com frases prontas na ponta da língua, ele é uma das figuras folclóricas do futebol blumenauense. Bem-humorado, Coral passa esse clima mais leve também aos seus atletas. Confiança é a palavra.

– Tenho certeza que ele não vai tremer. O Zé (Carlos) tá pronto. Todo atleta quer jogar e dessa vez chegou a chance dele – comenta o preparador de goleiros do Metropolitano.

– O nosso trabalho é dar tranquilidade. Ele tem a nossa confiança. Claro que todo atleta sente, afinal de contas sai da zona de conforto, mas isso é uma coisa totalmente natural – complementa o técnico do Verdão, Isaque Pereira.

Zé Carlos quer usar todos os obstáculos que teve durante sua curta caminhada como motivadores para o confronto contra o São Bernardo-SP. Seja uma grave lesão no joelho esquerdo que o deixou oito meses parado antes mesmo dos 17 anos, ou então o simples fato de deixar o conforto da casa com pais descendentes de italianos – o sotaque, inclusive, não deixa mentir – para ir à procura do sonho clichê de ser jogador de futebol.

– Sempre esperei por essa oportunidade e na vida é assim, ela não avisa antes. Acho que só no começo vou sentir um pouco, mas não por muito tempo. Vai passar um filme na cabeça de tudo que se passou para chegar ao momento – finaliza Zé Carlos.

Isaque mantém formação de
linha para o jogo de volta

Além da mudança forçada no gol, o técnico do Metropolitano, Isaque Pereira, não fará mais nenhuma alteração na equipe titular se comparado ao jogo de ida. A mesma estratégia com Jean Dias atuando como um ponteiro-direito se mantém e o camisa 7 será a principal arma ofensiva do Verdão, tanto nas bolas aéreas, quanto em jogadas individuais. Para avançar, o clube blumenauense precisa de uma vitória por qualquer placar. Em caso de empate por 0 a 0, quem se classifica é o São Bernardo-SP por conta do gol marcado fora de casa. O resultado de 1 a 1 leva o confronto para os pênaltis e qualquer outra igualdade – por dois ou mais gols – dá a classificação ao Metrô.

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros