Cabo analisa estreia no Figueirense e não se arrepende: "Colocar a cara" - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Série B17/06/2017 | 09h07Atualizada em 17/06/2017 | 09h07

Cabo analisa estreia no Figueirense e não se arrepende: "Colocar a cara"

Treinador aponta pontos positivos da equipe, apesar de resultado adverso diante do Paraná Clube, fora de casa

Cabo analisa estreia no Figueirense e não se arrepende: "Colocar a cara" GERALDO BUBNIAK/Estadão Conteúdo
Figueira sofre derrota para o Paraná na estreia de técnico Marcelo Cabo Foto: GERALDO BUBNIAK / Estadão Conteúdo
DC Esportes
DC Esportes

Ao acertar com o Figueirense, Marcelo Cabo aceitou a missão de imediato e por inteiro. Tanto que foi para a estreia sem ter trabalhado com os atletas em treinamento. O contato foi limitado ao hotel em que a equipe esteve concentrada para o jogo diante do Paraná. O revés no Durival de Britto, por 1 a 0, horas depois, fez o treinador analisar seu primeiro jogo pela equipe. Viu pontos positivos e está convicto de que poderá guiar a equipe ao objetivo de retornar à Série A do Campeonato Brasileiro.

— Eu cheguei ontem à noite (quinta), tive reuniões. Assim que tive o convite, aceitei e me propus a vir para o jogo. É o momento de colocar a cara. Analisei a equipe, precisamos trabalhar para fazer os ajustes. A equipe oscilou, teve momentos bons no jogo, com alguma dificuldade na marcação pressão deles. Sofremos um gol no início do segundo tempo e desestabilizou. Quando tivemos a bola, faltou contundência. Mas é o momento de silêncio e trabalho. Precisamos de dois terços para conseguir a meta. Vamos fazer minimetas pelo objetivo. É um grupo qualificado e comprometido. Já deixo de antemão que vamos jogar a final da vida na terça-feira. Precisamos dar uma resposta – estabeleceu Cabo, na entrevista coletiva após o confronto.

O treinador vai conciliar a preparação da equipe para o duelo ante o Luverdense, às 20h30min de terça-feira, no Orlando Scarpelli, com o planejamento. Cabo informou que vai analisar os atletas que estão treinando em horário diferente ao do plantel, como é o caso do zagueiro Marquinhos. Ainda assim, acredita ele, serão necessárias contratações, mesmo que pontuais.

— Tem um elenco bom, precisamos de algumas peças. Vamos analisar com a diretoria, talvez a chegada de um a três jogadores para qualificar. Todo mundo na Série B vai viver esse momento de deserto, eu sei o que é isso. Precisamos reverter o mais rápido possível para depois termos uma sequência de vitórias — ponderou o treinador. 

Acesse a tabela da Série B
Leia mais notícias sobre o Figueirense


 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros