Xerife do Avaí, Betão se contenta com "pressão natural da vitória" na decisão do Catarinense - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Ressacada04/05/2017 | 13h57Atualizada em 04/05/2017 | 17h16

Xerife do Avaí, Betão se contenta com "pressão natural da vitória" na decisão do Catarinense

Experiente defensor tenta deixar conjunto azurra tranquilo e sem responsabilidades a mais que vencer a Chapecoense por dois gols

Xerife do Avaí, Betão se contenta com "pressão natural da vitória" na decisão do Catarinense Marco Favero/Agencia RBS
Betão contribui com treinador ao passar um pouco de sua experiência aos companheiros do Leão Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Vencer o adversário por dois gols de vantagem e jogando fora de casa é o bastante para o Avaí conquistar o título do Campeonato Catarinense. A tarefa acarreta em pressão e ela, por si só, deve bastar ao elenco azurra no desafio das 16h de domingo, na Arena Condá. É desta forma que o xerife Betão busca deixar os companheiros de time mais tranquilos para o confronto decisivo pela taça estadual.

Conforme o defensor, mais ou menos jovens, os atletas do elenco azurra não têm outra pressão a ser absorvida além dessa. Justamente porque é o objetivo da equipe ante a Chapecoense no segundo duelo das finais do Estadual. 

— A gente tenta passar uma tranquilidade. É uma partida que você está perdendo de 1 a 0 e tem 90 minutos para virar. Não podemos ter euforia, oba-oba. Você não pode entrar nesse clima pré-jogo, temos a pressão natural da vitória. Não precisamos assumir pressão externa para termos a responsabilidade de vencer. É entrar tranquilo e fazer dentro do tempo, com calma, sem pressa – orientou o zagueiro do Leão.

Recado que vale também para o lateral-esquerdo João Paulo. No treinamento do Avaí, na manhã desta quinta-feira, o jogador apareceu entre os titulares. O técnico Claudinei Oliveira demonstrou que pretende utilizar a escalação do jogo passado, mas com o atleta de 26 anos na vaga de Capa, suspenso por ter sido expulso no primeiro encontro entre os times.

Nem a ausência do titular ou a desvantagem de placar do jogo de ida ou até mesmo mando de campo desanimam o elenco avaiano. Tampouco a torcida. Tanto que Betão descreveu no decorrer da entrevista coletiva, após a atividade, que a confiança vinda dos torcedores alimenta ainda mais a vontade do grupo em conseguir o resultado que marque de azul o Campeonato Catarinense deste ano. 

— Para mim seria estranho os torcedores não acreditarem. Somos finalistas, chegamos com mérito e não foi por acaso. Então seria estranho se não acreditassem. Ficamos felizes pelo apoio. O Avaí nunca foi somente jogadores e comissão técnica: trabalhamos com a torcida nos momentos bons e ruins. 

Mais notícias do Avaí
Acesse as últimas da Chapecoense

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros