Torcida do Avaí é atacada pela do Londrina antes do jogo decisivo - Esportes - A Notícia

Versão mobile

SÉRIE B19/11/2016 | 16h29Atualizada em 19/11/2016 | 16h52

Torcida do Avaí é atacada pela do Londrina antes do jogo decisivo

Torcedores ficaram feridos e PM teve dificuldades para conter vândalos

Torcida do Avaí é atacada pela do Londrina antes do jogo decisivo André Podiacki/Diário Catarinense
PM usou balas de borracha para conter torcedores do Londrina Foto: André Podiacki / Diário Catarinense
André Podiacki enviado especial a Londrina (PR)
André Podiacki enviado especial a Londrina (PR)

andre.podiacki@diariocatarinense.com.br

Uma hora antes de começar a partida entre Londrina e Avaí, no Estádio do Café, avaianos foram atacados por torcedores do Tubarão. Para acabar com a confusão, a Polícia Militar do Paraná teve que usar balas de borracha.

Quatro pessoas ficaram feridas. Dois avaianos, um torcedor do Londrina e uma PM, nenhum deles corre risco de vida.

Torcedores azurras já haviam sido atacados por volta do meio-dia, quando torcedores do Londrina jogaram jogos de artifício em direção aos avaianos. Depois do ataque, os torcedores do Londrina ainda exigiram que os avaianos fossem embora.

— Mais cedo torcedores do Londrina jogaram rojões em torcedores do Avaí que estavam aqui. Por isso abrimos mais cedo a arquibancada e pedimos para eles entrarem. Muito tiveram bom senso e fizeram isso. O que não tiveram foram atacados agora — explicou Clodoaldo Pereira, chefe de segurança do Estádio do Café.

Ônibus de torcedores do AVaí levou pedrada Foto: André Podiacki / Diário Catarinense

Um ônibus que trazia avaianos também foi atacado e ficou com vidros quebrados.

— As torcidas se desentenderam na chegada da torcida do time rival. Mais uma vez, a torcida do Londrina os atacou covardemente. Não foi a primeira vez, já aconteceu a mesma situação envolvendo outros times. A Polícia Militar apenas fez o seu serviço, intervindo com a situação e evitando um mal maior, evitando qualquer situação contra os mesmos. Deem uma olhada no palco de guerra. Garrafas quebradas, pedregulhos, ônibus quebrados e policias machucados — explicou o coronel Persischet.

Momento do enfrentamento Foto: André Podiacki / Diário Catarinense

O PM ainda explicou porque foi usada balas de borracha:

— Fizemos a utilização da força proporcional, evitamos um mal maior a torcedores e familiares que vieram acompanhar o jogo e foram mais uma vez hostilizados e alvo desses vândalos — completou.



 
 
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros