Primeira aeronave da FAB deve chegar a Medellín na madrugada desta quarta-feira - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Ajuda29/11/2016 | 19h41Atualizada em 29/11/2016 | 23h37

Primeira aeronave da FAB deve chegar a Medellín na madrugada desta quarta-feira

Ministro da Defesa estima que corpos serão liberados em dois dias

Primeira aeronave da FAB deve chegar a Medellín na madrugada desta quarta-feira Raul ARBOLEDA,AFP/Agencia RBS
Ministro da Defesa acredita que liberação dos corpos possa levar dois dias Foto: Raul ARBOLEDA,AFP / Agencia RBS
Guilherme Mazui/RBS Brasília

guilherme.mazui@gruporbs.com.br

A primeira aeronave da Força Aérea Brasileira deslocada em razão do acidente com a delegação da Chapecoense tem previsão de chegar a Medellín na madrugada desta quarta-feira. Um jato C-99 partiu de São Paulo, faz escala em Brasília e deve aterrissar na Colômbia por volta das 2h30min (horário de Brasília). Já um Hércules C-130 aguarda a liberação dos corpos, que deve ocorrer nos próximos dias.

– Por determinação do presidente Michel Temer, disponibilizamos um cargueiro Hércules C-130 na base área de Manaus, que está de prontidão para o transporte dos corpos assim que eles forem liberados. Uma aeronave C-99, com capacidade para até 50 passageiros, está descolando para Medellín — explica o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Leia mais:
Grupo RBS divulga nota de pesar por acidente com avião da Chapecoense
Pilotos colombianos dizem que comandante do voo disse ter pouco combustível
Apesar de fratura na coluna, Alan Ruschel mantém sensibilidade e movimentos, diz site

O ministro acredita que a liberação dos corpos possa levar dois dias, ocorrendo a partir de quinta-feira:

– O que se tem é meramente uma estimativa. Os corpos poderão estar liberados em mais dois dias, mas isso depende muito da velocidade das equipes colombianas. Não temos previsão definitiva. Estamos à disposição com o que for necessário para atender familiares das vítimas.

Acionado pelo presidente Michel Temer no início da manhã, Jungmann passou a manhã em contato com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) e com o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Foi acertado que, em um primeiro momento, a Força Aérea disponibilizará quatro aeronaves para a operação que envolve o acidente — dois cargueiros Hércules C-130 e dois jatos C-99. Outros aviões podem ser utilizados. Das aeronaves, uma está em deslocamento, uma está em Manaus e duas estão de prontidão no Rio de Janeiro. Avalia-se deixar um avião apto a operar em Campo Grande.

Segundo Jungmann, o primeiro voo da FAB saiu de São Paulo na tarde desta terça-feira com o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e médicos da cidade. O C-99 passa por Brasília, onde embarcam diplomatas, policiais federais e técnicos do Ministério do Esporte. Também viajarão especialistas do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa), que vão auxiliar autoridades colombianas na apuração das causas da tragédia.

Também envolvido nos esforços em relação ao acidente, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, afirma que, por ora, a identificação dos corpos da delegação da Chapecoense deve ser feita por peritos da Polícia Federal, que levam à Colômbia informações das vítimas. Como a aeronave não explodiu, o trabalho deve ser facilitado.

Se o trabalho for concluído com rapidez, familiares dos atletas, comissão técnica e dirigentes não irão à Colômbia. Sobre a ideia de identificar os corpos em São Paulo, Picciani afirma que não será possível.

– A legislação internacional não permite — explica.

Picciani ainda relata que a CBF levará representantes a Medellín, em voo comercial. Embarcam advogados, médicos e familiares dos jornalistas mortos na tragédia.

* ZHESPORTES


 
 
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros