Governador vai a Chapecó para prestar solidariedade aos familiares das vítimas - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Acidente na Colômbia29/11/2016 | 13h34Atualizada em 29/11/2016 | 15h00

Governador vai a Chapecó para prestar solidariedade aos familiares das vítimas

Entre as medidas será o apoio levar as famílias para reconhecer os corpos

Governador vai a Chapecó para prestar solidariedade aos familiares das vítimas Darci Debona/Agência RBS
Torcedores da Chapecoense se reuniram na da Arena Condá, sede do clube Foto: Darci Debona / Agência RBS
darci debona

O Governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, chegou em Chapecó por volta do meio-dia acompanhado do secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni, do presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merísio e do deputado federal João Rodrigues. O objetivo da comitiva é prestar apoio aos familiares das vítimas.

— Vim trazer a solidariedade de todos os catarinenses — afirmou o governador. Colombo disse que vai dar todo o apoio necessário para que todos possam enfrentar essa situação juntos.

Entre as medidas será o apoio levar as famílias para reconhecer os corpos. Colombo afirmou estar abalado pois o acidente com a Chapecoense.

— É uma perda muito violenta, que deixa a gente tonto — afirmou.

O deputado Gelson Merísio afirmou que adiou a viagem para a Colômbia pois tinha uma reunião com o ministro do STF, Teori Zavascki.

— A gente lamenta profundamente — declarou.

O deputado federal João Rodrigues (PSD), que deu apoio ao time num momento difícil, em que quase estava fechando, também estava emocionado.

— Lembro que eu e o Edir (De Marco) fomos bater de porta em porta — declarou, sobre a ação para levantar fundos para bancar o time.

João Rodrigues disse que a região perdeu seus ídolos e famílias perderam seus pais e maridos.

O objetivo é atender os feridos e agilizar a liberação dos corpos.

Ele disse que não está com cabeça para pensar muito no futuro. Disse que recebeu uma ligação do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, afirmando que os jogos foram adiados mas que pretende fazer um jogo de homenagem na última rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Atlético-MG.

— Eu falei que não temos mais time e ele insistiu nem que seja com os juniores — declarou.

Tozzo lembrou que a Chapecoense era um orgulho da região.

— É muito triste, todo mundo amava a Chapecoense — destacou.

Ele disse que o momento é de união e de rezar por quem sobreviveu.

— Espero que pelo menos eles possam se salvar para que possamos dar um abraço neles — concluiu.

Leia mais notícias:
"Nossa prioridade é dar apoio às famílias", diz vice-presidente da Chapecoense
Desastre aéreo da Chapecoense é o maior na história do futebol
AO VIVO: acompanhe tudo sobre o acidente
MAPA: confira onde ocorreu a queda do avião


 
 
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros