Jogadores do Sparta Praga treinam com time feminino após críticas machistas - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Clube da Bolinha05/10/2016 | 11h59Atualizada em 05/10/2016 | 13h16

Jogadores do Sparta Praga treinam com time feminino após críticas machistas

Goleiro Tomas Koubek e meia Lukas Vacha reclamaram de erro de assistente em jogo do Campeonato Tcheco

Jogadores do Sparta Praga treinam com time feminino após críticas machistas Michal Cizek/AFP
Foto: Michal Cizek / AFP
Clube da Bolinha
Clube da Bolinha

O Sparta Praga não gostou nem um pouco das declarações de dois jogadores seus no último final de semana e tomou uma decisão inusitada para puni-los. O goleiro Tomas Koubek e o meia Lukas Vacha fizeram críticas machistas a uma assistente após um empate no Campeonato Tcheco — e, por isso, vão participar de treinos com a equipe feminina do clube.

Koubek e Vacha reclamaram de um erro da bandeira Lucie Ratajova, que não marcou um impedimento do ataque do Brno nos acréscimos do jogo no último domingo, pela nona rodada do Campeonato Tcheco – o placar final foi 3 a 3. Após o jogo, o goleiro disse que, na sua opinião, "mulheres devem ficar no fogão, e não apitando jogos de homens". Já o meia Vacha escreveu, no Twitter, a frase "para a cozinha" após o erro.

Leia mais:
Tite utiliza a quarta-feira para ajustes finais na equipe que encara a Bolívia
Guia da secação: os jogos que interessam à Dupla na 29ª rodada do Brasileirão

As reclamações dos dois foram recebidas com uma saraivada de críticas em toda a República Tcheca. O presidente da Federação Tcheca, Miroslav Pelta, afirmou que o comportamento de ambos era "inaceitável". E a direção do Sparta disse que os dois "cruzaram limites".

— Por mais que eu entenda que os dois estavam no calor do jogo, há limites que não podem ser quebrados. Por isso, além de servir de embaixadores do nosso time na Liga dos Campeões feminina, eles vão falar com Dusan Zovinec, diretora dos nossos times femininos. E vão participar de algumas sessões de treinos, para que vejam com seus próprios olhos que as mulheres podem ser muito hábeis bem longe de um fogão — disse o diretor geral Adam Kotalik.

Os dois jogadores pediram desculpas em seus perfis no Facebook, garantindo que não quiseram ser machistas nas suas críticas a Ratajova.

*ZHESPORTES


 
 
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros