Ex-JEC e hoje no Fluminense, Edinho é o personagem do primeiro dérbi de Joinville - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Futebol29/09/2018 | 13h15Atualizada em 29/09/2018 | 13h15

Ex-JEC e hoje no Fluminense, Edinho é o personagem do primeiro dérbi de Joinville

Equipe da cidade do Norte de SC se enfrentam às 15h30min deste domingo

Ex-JEC e hoje no Fluminense, Edinho é o personagem do primeiro dérbi de Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

O futebol dá voltas que nem mesmo os atletas, acostumados às transferências, imaginam. Neste domingo, às 15h30min, na Arena Joinville, o meia-atacante Edinho vestirá a camisa 10 tricolor. Embora tenha sido revelado pelo JEC, o jogador será o líder de outro time da cidade: o Fluminense. O time do bairro Itaum fará seu primeiro confronto na história contra o Joinville e, por este motivo, tem chamado a atenção da torcida e da mídia nesta semana. 

Para Edinho, a ocasião é especial. Fora do JEC desde 2013, ele encara o duelo como uma oportunidade de mostrar que poderia ter sido melhor aproveitado.

– Falta sequência. Se você vai mal no primeiro jogo, já vai para o fim da fila. Isso me prejudicou bastante – relembra. 

Edinho começou na base do Joinville em 2009. Deixou o clube quando seu contrato chegou ao fim. De lá para cá, jogou no Atlético de Ibirama, em 2014, Foz do Iguaçu, em 2015, e passou os últimos três anos em Minas, onde rodou por Democrata, América-TO e Uberaba. 

O retorno a Joinville aconteceu da pior maneira: em março, Edinho perdeu a mãe e o pai, vítimas de câncer. Ainda abalado, tentou se restabelecer na cidade e acertou com o Flu para a disputa da Série B do Catarinense. 

Mais experiente, foi um dos líderes na campanha que levou o Flu às semifinais – parou no Marcílio Dias, justamente no jogo do acesso. Agora, na Copa Santa Catarina, continua apostando na qualidade do grupo que defende e aposta que a reação pode acontecer justamente contra o ex-clube.

– Nosso time é forte. Tivemos algumas falhas individuais, mas deveríamos estar melhor na classificação. O jogo é especial, sim, e vamos dar o nosso melhor. Se eles acharem que vão ganhar de qualquer jeito, vão ter uma surpresa – afirmou o meia.

Questionado se irá ou não comemorar o gol se marcar, Edinho não titubeou: 

– Vou sim, por que não? Tenho muito respeito pelo que o JEC fez por mim, foi lá onde comecei, mas agora é outro tempo – concluiu.

Técnico Wagner Lopes prega respeito ao Flu

No lado do Joinville, muito respeito ao analisar o adversário. Ciente da responsabilidade que terá diante de um rival da cidade, o técnico Wagner Lopes foi cuidadoso nas palavras antes do confronto. 

– Os resultados não mostram o que time é. Será um grande jogo. Não só por ser um dérbi, mas são dois times que querem mostrar serviço e querem uma sequência. Nós temos que respeitar muito o adversário – pregou o comandante do Joinville. 

 
A Notícia
Busca