JEC busca o milagre alcançado por duas outras equipes no passado - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

Futebol09/07/2018 | 18h05Atualizada em 09/07/2018 | 18h05

JEC busca o milagre alcançado por duas outras equipes no passado

Águia, em 2014, e Guaratinguetá, em 2015, estavam em situação pior do que a do JEC, mas escaparam do rebaixamento na Série C

JEC busca o milagre alcançado por duas outras equipes no passado Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Acreditar que o Joinville conseguirá escapar do rebaixamento para a Série D é tarefa para poucos na cidade. Há motivos de sobra para a descrença: apenas três vitórias na Série C, nenhum ponto conquistado como visitante e pior defesa do campeonato. No entanto, a matemática insiste em mostrar que há chances. E a reportagem de "A Notícia" descobriu até que o histórico do campeonato comprova que o milagre já existiu. Em duas ocasiões, equipes com campanha pior do que a do JEC evitaram o rebaixamento a cinco rodadas do fim. 

Os casos aconteceram em 2014 e 2015. Em 2014, o Águia-PA era o lanterna da chave A com nove pontos. Estava cinco atrás do Treze-PB, primeiro fora da zona do rebaixamento. Na reta final, somou 11 pontos - três vitórias e um empate - e escapou da Série D. A diferença na época é que o Águia-PA fez duas partidas seguidas em casa (venceu), empatou duas fora e voltou a ganhar na última rodada em casa. 

No ano seguinte, o Guaratinguetá fez algo parecido. Era lanterna, somava seis pontos na chave B e estava cinco atrás do Madureira, primeiro fora da zona do rebaixamento. A reação começou com duas vitórias seguidas - uma fora de casa diante do Caxias-RS e outra frente ao Londrina, em casa. Depois, buscou um empate em Tombos, venceu o Madureira em casa e a derrota fora, na última rodada, não pesou para confirmar a permanência na Série C. 

A sequência de jogos do Joinville é parecida com a do Guaratinguetá: fora diante do Cuiabá, em casa contra o Botafogo-SP, fora frente ao Tupi, em casa diante do Luverdense e fora contra o Volta Redonda. Nos últimos anos, só houve um caso de equipe com mais de 20 pontos que caiu: o São Caetano em 2014, que fez 21. Nas outras edições, desde 2012, quem somou 20 escapou. Neste caso, o Tricolor precisaria de três vitórias e um empate em cinco rodadas. 

Quem escapou
Águia-PA em 2014.

Somava nove pontos na 13ª rodada e era o lanterna da chave A. Nas cinco rodadas finais, ganhou três partidas e empatou duas. Terminou com 20 pontos, na oitava colocação, livre do rebaixamento.

Guaratinguetá em 2015.
Somava seis pontos na 13ª rodada e era o lanterna da chave B. Nas cinco rodadas finais, ganhou três partidas, empatou uma e perdeu uma. Terminou com 16 pontos, na oitava colocação, livre do rebaixamento.

A missão
JEC em 2018. 
Soma dez pontos na 13ª rodada e é o lanterna da chave B. Ainda tem cinco jogos. Precisa, no mínimo, de três vitórias e um empate para chegar a 20 pontos. Historicamente, só um time com mais de 20 pontos caiu: o São Caetano, em 2014. 

Sequência de jogos do JEC
Cuiabá (F)
Botafogo-SP (C)
Tupi (F)
Luverdense (C)
Volta Redonda (F)

 

Siga JEC na Rede no Twitter

A Notícia
Busca