Bruno Aguiar chora na despedida oficial do JEC - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

 

Futebol25/05/2018 | 18h39Atualizada em 25/05/2018 | 18h39

Bruno Aguiar chora na despedida oficial do JEC

Zagueiro alegou motivos particulares para deixar o clube. Versão foi reforçada pelo presidente

Bruno Aguiar chora na despedida oficial do JEC Kaue Vezentainer / JEC/JEC
Foto: Kaue Vezentainer / JEC / JEC

Numa entrevista coletiva concedida ao lado do presidente Vilfred Schapitz, o zagueiro Bruno Aguiar se despediu de maneira oficial do Joinville na tarde desta sexta-feira. O anúncio do desligamento já havia sido feito na manhã desta sexta, em comunicado enviado pela assessoria do clube. Na conversa com os jornalistas, na sala de imprensa da Arena Joinville, Bruno reforçou os motivos da rescisão e chorou ao pedir desculpas pelo seu desempenho abaixo do esperado. 

 - Peço perdão por não render o que poderia e o que todos sabem o que poderia render. Sentamos e decidimos tratar um caminho melhor. Agradeço ao Vilfred, que conheço desde a nossa caminhada na Série B, um cara que me tratou como humano e que sabia que precisávamos de um acordo - afirmou Bruno.

Segundo o presidente, a decisão da saída de Bruno Aguiar só foi tomada na manhã desta sexta-feira - antes, em entrevista coletiva, o técnico Márcio Fernandes chegou a afirmar que tomou conhecimento do processo do desligamento de Bruno na quinta-feira. No entanto, Vilfred reiterou que a decisão só foi tomada nesta sexta. Bruno também disse que, como havia treinado na quinta, não fazia sentido ter planejado a saída logo depois do treino.

- O Bruno Aguiar me procurou, a gente conversou e ele não estava se sentindo bem até por uma situação que passou na quarta-feira. Deixou meio aberto de que não estava em condições de jogar esse jogo domingo por um problema pessoal, que estava afetando muito ele. Marcamos hoje (sexta) às 10 horas de termos uma reunião mais tranquila na Arena e decidimos pela saída - informou Vilfred.

A situação, citada por Vilfred, foi o fato de o jogador ter sido pressionado por alguns torcedores na saída do treino de quarta-feira. Não houve agressão, mas Bruno teria se abalado em razão do que sofreu no ano passado, pelo Goiás, quando torcedores invadiram o CT e o agrediram. 

- Saio triste sabendo que poderia conquistar mais coisas aqui, mas na torcida e crendo que o Joinville chegará onde deveria estar - concluiu o jogador. 

 
A Notícia
Busca