Dick realiza sonho antigo de voltar vestir a camisa do JEC  - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Futebol07/12/2017 | 19h44Atualizada em 07/12/2017 | 19h44

Dick realiza sonho antigo de voltar vestir a camisa do JEC 

Lateral, apresentado como quinta contratação nesta quinta-feira, tentava voltar há um bom tempo

Dick realiza sonho antigo de voltar vestir a camisa do JEC  Divulgação/Assessoria do JEC
Foto: Divulgação / Assessoria do JEC

Dez anos depois, o lateral-direito Dick finalmente pôde realizar o desejo antigo de voltar ao Joinville. Na tarde desta quinta, ele foi apresentado oficialmente como nova contratação do clube para o Campeonato Catarinense, a quinta desde o reinício dos trabalhos, em 29 de novembro. 

Aos 33 anos (completa 34 em fevereiro), ele assinou vínculo até o fim do Estadual, respeitando a política da nova diretoria, que não quer firmar acordos longos antes de assumir a gestão completa do clube, em abril.

Leia as últimas notas de Elton Carvalho  
Confira as últimas notícias do esporte  

A vontade de voltar a vestir a camisa tricolor era manifestada abertamente por Dick, em todas as entrevistas que o jogador dava quando enfrentava o Tricolor. Na última deles, em 2015, quando encarou o JEC pelo Ituano, na Copa do Brasil, chegou a pedir uma chance para o então presidente Nereu Martinelli

No entanto, a segunda passagem pelo Joinville (a primeira foi em 2007) só pôde ser confirmada agora, depois do título da Série C pelo CSA, seu último clube. E é a experiência do clube alagoano e de outros pelos quais jogou que ele espera fazer diferença no retorno à cidade.

— É uma felicidade imensa retornar ao clube que me projetou. De lá para cá, só mudei a idade porque continuo o mesmo, mais experiente é claro, mas pronto para dar o meu melhor.  

Volante de origem (a mudança para a lateral aconteceu justamente no JEC, sob o comando de Luis Carlos Barbiéri), Dick se colocou à disposição de Rogério Zimmermann para atuar em várias posições.

— Eu comecei como volante, mas se precisar de mim como lateral eu vou, como ala eu vou também. A decisão é dele. O importante é ajudar o JEC. 

Por fim, ainda mostrou otimismo com o grupo formado pelo departamento de futebol e lembrou que, em 2014, poucos apostavam no Ituano, clube campeão paulista surpreendendo as grandes potências de São Paulo.

— Se a gente conseguiu isso lá, aqui, num grande clube de Santa Catarina, é lógico que temos chances. É só questão de o time encaixar mesmo — concluiu.

 


A Notícia
Busca