Erro da arbitragem prejudica o JEC, que só empata com o Mogi Mirim - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Futebol10/07/2017 | 23h13Atualizada em 10/07/2017 | 23h13

Erro da arbitragem prejudica o JEC, que só empata com o Mogi Mirim

Gol irregular dos donos da casa determinou o placar de 1 a 1, no interior paulista. Resultado mantém o Tricolor longe do G4 do grupo B


JEC alcançou apenas a sétima colocação da chave com o empate por 1 a 1 no interior paulista Foto: JEC / Divulgação

Um erro grave do árbitro alagoano José Ricardo Vasconcellos Laranjeira e do auxiliar também alagoano Esdras Albuquerque custou caro ao Joinville. O JEC vencia o Mogi Mirim, em Mogi Mirim, por 1 a 0, mas um gol irregular deu o empate aos donos da casa e tirou o Tricolor do G4 do grupo B da Série C.

Com o placar de 1 a 1, o Joinville alcança apenas a sétima posição. Na próxima rodada, voltará a buscar o G4 diante do Ypiranga, domingo, na Arena.

Leia as últimas notícias sobre o Joinville Esporte Clube no AN.com.br
Leia mais sobre o JEC no blog Toque de Letra

O primeiro tempo foi de poucas chances para os dois lados. Sem inspiração, as equipes não conseguiam criar nada e deixavam o duelo sonolento.

O Mogi Mirim até apresentava mais iniciativa, mas quem chegou e marcou foi o Joinville. Aos 32 minutos, após cobrança de lateral, a bola chegou à ponta esquerda para Ricardo Lobo. Ele ajeitou para Alex Ruan, que bateu cruzado. Rafael Grampola, no meio do caminho, desviou de perna esquerda e abriu o placar.

O gol poderia até animar o confronto, no entanto, nada disso aconteceu. A partida só ganhou emoção nos 45 minutos finais.

Na volta do intervalo, o Mogi Mirim teve cinco chances claríssimas de empatar. Três delas vieram em chutes de fora da área. Clayton, Tatuí e Vitinho assustaram o goleiro Matheus em tiros perigosos. Pretinho, aos 17 minutos, também levou perigo num disparo dentro da área. Desta vez, o camisa 1 do JEC evitou o pior. Logo depois, foi a vez de Renan Teixeira salvar o Tricolor após o desvio em cobrança de escanteio.

O Joinville até poderia ter ampliado aos 25, quando Fernandinho fez linda jogada individual, ficou cara a cara com Maringá, mas não chutou nem passou a Grampola.Na sequência, veio o castigo com doses de crueldade.

Após o cruzamento na área do JEC, a bola saiu, mas Tatuí trouxe a bola para o campo e encontrou Pretinho, que empatou o jogo. A defesa do Joinville, que esperava pela marcação do tiro de meta, assistiu ao lance e não evitou o gol.

No fim, o Joinville pressionou e teve duas chances, com Max de cabeça, e Tinga, numa boa jogada criada por Bruno Rodrigues. No entanto, o placar se manteve igual, para a tristeza dos tricolores.


 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros